+55 81 30932991 contato@migueluchoa.com

 
Autoridade que vem de dentro
Marcos 1:14-28;1 Coríntios 1:20-31
Não há autoridade como a que se funda na justiça e se exerce pela virtude          Plínio

 Recentemente vimos sobre o deserto, sobre as tentações e sobre estes chamados especiais de Deus e como se deu a resposta a ele. A prontidão em atender ao chamado de Jesus deve sempre chamar a nossa atenção e ser sempre uma lição a ser aprendida. Mas o evangelho vai adiante e narra outros encontros, desta vez com o grupo de João e Tiago os pescadores, filhos de Zebedeu. Mais uma vez perceba a prontidão em atender ao chamado. Eles deixaram seus barcos e os empregados com seu pai e seguiram a Jesus. Em Cafarnaum, uma importante vila da região da Galileia. Jesus chega no sábado, vai até a sinagoga e passa a ensinar. Até aqui nada de diferente, afinal de contas era isso que Jesus vinha fazendo constantemente. Uma frase do evangelho chama a nossa atenção e a coloco em seguida, “Todos ficavam maravilhados com o seu ensino, porque lhes ensinava como alguém que tem autoridade e não como os mestres da lei”.

Vamos por partes? Pois bem, as pessoas ficaram maravilhadas com o ensino de Jesus. Para nós não parece nada de novo afinal de contas Jesus atraiu multidões por onde passou e seu ensino continua atraindo milhões por onde passa, onde quer que chegue essa poderosa mensagem do evangelho transmite paz, refaz corações, enche a todos de esperança foi assim e é assim hoje, em qualquer lugar.  Mas existe algo que podemos observar além do estado das pessoas maravilhadas. Podemos ver porque elas ficaram assim e isso se esclarece na sequência do verso. Jesus ensinava com autoridade e não como os mestres da Lei. Os mestres da lei eram religiosos, áridos de amor, cumpridores de regras e liturgias, viviam uma falsidade de vida, seu testemunho não condizia com a mensagem de um Deus de amor. 

Não podemos esquecer que Jesus chamou essa tropa de sepulcros caiados, limpos por fora e podres por dentro. Por isso esses homens não tinham autoridade, se aliavam com Roma para ter benefícios, exigiam das pessoas aquilo que eles mesmo não conseguiam fazer, encarnavam uma hipocrisia sem limites. O evangelista destaca então que as pessoas atenderam a Jesus e ficaram maravilhados porque Ele falava com a autoridade de Sua vida, com o recheio da Graça, com o cheiro do amor. Jesus em suas palavras levantava o caído, curava o doente, consolava o perdido. Jesus andava em busca dos pecadores enquanto os mestres da Lei se afastavam deles, Jesus entrou em suas casas enquanto os mestres da Lei puniam quem assim fizesse, Jesus disse a eles venham enquanto os mestres da Lei diziam  sumam daqui.

Hoje eu quero olhar para dentro de mim e ver onde estou em minhas atitudes, estou eu mais perto dos mestres da Lei ou de Jesus. A autoridade que eu preciso virá sempre que minha prática de vida se aproximar de Jesus e de quem ele se aproximaria e me afastar dos hipócritas e aproveitadores deste tempo.

Os que se maravilharam com as palavras de Jesus se igualam aos que aceitaram a mensagem da cruz de Cristo pregada por Paulo. Seu espanto foi com a narrativa do evangelho, a vida de Jesus e a maneira como Paulo, em sabedoria expunha a graça de Deus, usando os fatos, costumes e ideias que os traziam para perto da mensagem. Paulo soube bem identificar cada pessoa com a mensagem do evangelho e com o amor de Deus.

Assim como os mestres da Lei os sábios gregos ficaram impressionados com as palavras de Paulo e muitos se converteram a elas. Mas não há duvida que pelo menos dois fatores são relevantes aqui assim como foram no caso de Jesus com os mestres. Primeiro a vida de Paulo, assim como a vida de Jesus era exemplo e trazia assim o peso de sua autoridade, eu anuncio essa mensagem, mas eu vivo essa mensagem.  Talvez nada possa ser mais relevante que isso no que diz respeito à nossa vida e missão, a coerência fala mais alto que o mais alto de nossos gritos. Insista em viver assim para deus, faça de sua vida uma mensagem que deixe a todos maravilhados.

Em segundo lugar perceba que em ambas as situações, tanto Jesus quanto Paulo apontavam para Deus como autor da graça e da salvação. Jesus num misto de Deus e homem e Paulo num misto de sábio e ser humano sensível aos pequenos. Afirma que o desprezado, o pequeno, o insignificante  etc. é quem recebe e quem transmite a mensagem do amor de Deus, e destaca, a fim de que ninguém se vanglorie diante dele. As coisas de Deus assim confundem os sábios, mas por outro lado deixa bem claro que o insignificante se enche de significância quando é alvo do amor de Deus e se torna meio da graça levando-a a todos e pelas suas limitações todos podem perceber que de fato existe um deus por detrás de cada um deles. Tudo isso feito para que não haja glória em ninguém senão nEle, o criador de todas as coisas. A bíblia afirma que Deus não divide a Sua glória com ninguém. Isso é uma grande verdade mas, Ele dá de graça a sabedoria a todos que recebem de bom grado a mensagem do evangelho.

Quando algo diferente disso por ventura começar a surgir em sua vida, uma fresta de vaidade pelo que você diz, um pouco que seja de orgulho em seu caminhar, simplesmente diga como Jesus disse : “Cale-se e saia daqui…” tudo voltará ao normal pois as origens de ambos os males é a mesma, o pai da mentira. E nós, queremos andar na verdade e refleti-la em nossas vidas. Viva assim, aceite esse desafio hoje, ore nesse sentido.

 Minha Oração

 

Senhor, minha vida precisa dar autoridade às minhas palavras. Coloca em mim a coerência de uma vida que mostre o teu amor, conduza ao teu caminho e se traduza em sabedoria e poder para quem quer que me encontre. Sê comigo nesse propósito em nome de Jesus.

 
ABOUT THE AUTHOR
admix