+55 81 30932991 contato@migueluchoa.com

Sábado 32o Dia de Escuta

Amor, o tempero
de todos os Dons

Mc 9:14-29; 1 Co 13:1-13
O amor é a fita métrica com a qual se mede o cristão
Roger W. Johnson

 

Jesus não permitiu que se fizesse as três tendas para que pudessem ficar no topo do  monte experimentando a transfiguração. O desejo de Pedro foi natural, qualquer um de nós desejaria a mesma coisa, mas Jesus sabia qual era a missão e nunca hesitou em cumpri-la. Agora eles estão descendo o monte  e encontram os outros discípulos rodeados de pessoas e um jovem possuído por um demônio e um pai desesperado.
Assim é conosco, a humanidade está gemendo de dores, o mundo que jaz no maligno está diante de nós e por isso não nos cabe estar contemplando exclusivamente a experiência da transfiguração, experimentando do gozo da presença plena sem prestar atenção no gemido do mundo. Seria de nossa parte uma atitude egoísta agir assim. O mundo e suas necessidades estava ao pés daqueles discípulos que, se dependesse deles, estariam no topo do monte gozando daquela impressionante experiência. Creio que não poucas vezes estamos sujeitos a agir da mesma forma, a nos acomodarmos a um cristianismo que contempla, mas que não age. Esse não é o cristianismo de Jesus. Como disse alguém, “ Igreja só é Igreja quando uma mão se estende ao alto em adoração e a outra se estende para baixo em socorro”
Jesus encontra aquela cena de apreensão e, como vimos, um pai que se desespera na tentativa de conseguir ajudar seu filho possuído por um espírito maligno. A cena é triste, chega a doer o coração quando, como pai que sou, imagino a cena. Os discípulos bem que tentaram expulsar aquele espírito mas não conseguiram. Jesus, como que num desabafo questiona a fé deles. Porque ele disse aquilo? Ora, não estranhe, Jesus já havia dado a eles autoridade, ensinado como se faz, eles já vinham experimentando o poder de Deus, mas mesmo assim, se viram incapazes de solucionar aquele problema. Não tiveram a autoridade suficiente para ordenar aquele espírito que se retirasse.
A verdade é que na vida cristã e especialmente no exercício do ministério cristão nos defrontamos com situações difíceis, momentos de luta onde nossas forças não são suficientes para resolver certos casos. Fugir disso é um sinal de dissimulação, e caminha para uma atitude hipócrita. no exercício do ministério cristão nos defrontamos com situações difíceis, momentos de luta onde nossas forças não são suficientes para resolver certos casos. Fugir disso é um sinal de dissimulação, e caminha para uma atitude hipócrita. Ao contrário, mostra uma atitude de humildade e reconhecimento de nossas muitas limitações e Deus, gosta de um coração assim.
O diálogo de Jesus com aquele pai em desespero pode também mostrar qual deve ser a nossa postura sempre. A resposta dele mostra a ambiguidade da fé , o paradoxo da fé e da descrença. Na realidade, queremos crer, e cremos, mas ainda estamos cheios de dúvidas. Claro que não gostamos dessa contradição interior e até certo ponto irracional, mas é assim que somos, frágeis. Jesus coloca com clareza, Deus pode tudo, mas você precisa crer.  Um fato importante que me chama a atenção é o fato da compreensão de Jesus. Ele sempre nos compreende muito bem, entende nossas limitações e, diferente de pessoas que culpam sempre os outros pela ineficácia de suas orações colocando sobre eles o peso e a culpa da ausência de fé, Jesus os exorta sim, mas em seguida executa a obra, mostra mais uma vez o poder de Deus e ensina-os mais uma vez.
Lembro de alguém que me procurou com um peso em seu espírito pois ao ter se submetido a uma oração por uma pessoa e ter tido as promessa da cura daquele mal , dias depois fez o contato para perguntar o que fazer porque seu problema continuara, a sua frustração foi grande ao receber a resposta fria e desumana de que o problema era dela e o ocorrido se devia a sua ausência de fé. Não, de fato não é essa a postura de Jesus e por isso jamais deve ser essa a nossa postura. A verdade é que Jesus os consola dizendo que certas situações são especiais e por isso requerem uma postura especial ( Jejum e oração). Fugir disso, é fugir do que Jesus mesmo afirma.
Talvez você se encontre pensando sobre isso em sua vida, sobre as dificuldades que tem encontrado de viver e aplicar a sua fé no dia a dia de sua vida, nas barreiras que muitas vezes tem impedido a sua ação como cristão(ã), mas perceba que as palavras de Jesus são ao mesmo tempo exortativas e consoladoras. Ele está lhe dizendo, dedique-se mais a oração, jejue se for preciso, fortaleça-se, prepara-se pois neste mundo enfrentamos “castas” que nos desafiam a cada dia. Portanto vigie, ore e esteja atento(a).
O apóstolo segue em sua ministração sobre a necessidade, a aplicabilidade a relevância e o propósito dos dons espirituais. Seu ensino chega no dom do amor. A leitura desse texto não encontra seu sentido pleno quando lido isoladamente. Continua sendo verdade, sendo bonito, inspirativo mas, somente encontra seu propósito no contexto desse ensino, o ensino da relevância dos dons na igreja. Perceba que estamos refletindo sobre como cada dom tem um papel no corpo, como o corpo funciona com todos os dons como membros relevantes e, nesse momento ele coloca o amor como o dom que “tempera”  todo o ensino. De nada vale todos esses dons, essas operações de  milagres, esse movimento espetacular sem que esteja presente o amor. No episódio que me referi podemos perceber isso. Aquela pessoa que desejava apenas uma explicação, uma palavra amiga, um gesto de amor, um consolo para a sua fé que parecia debilitada, recebe um balde de água fria, uma palavra árida que tenta livrar-se de qualquer culpa pelo “não resultado” daquela oração imputando sobre o outro toda e qualquer culpa. Faltou o tempero do amor nesse contexto.
Um conselho que costumo dar às pessoas é que aceitem suas limitações, se compreendam como imperfeitos e deixem claro que não têm todas as respostas e que isso não significa em momento algum falta de fé, nem tampouco retirará sua autoridade espiritual. Tenho aprendido que meu papel orar sempre e o que vai além disso depende apenas de Deus e de mais ninguém. Nunca desanime pelos desafios que a vida lhe impõe, nunca se culpe por resultados não ocorridos, eles não dependem de você, mas essencialmente da soberana vontade de Deus.
 
 Minha Oração
 Senhor, hoje meu desejo é que tu possas me ajudar a compreender os mistérios da Tua soberana ação. Permita que os meus dons e a prática deles esteja sempre temperada com o dom supremo do amor, que em tudo coloca uma pitada de tua graça.

 
Leia Mais

6a Feira 31o Dia de Escuta

 
Glória e Adversidade
Marcos 9:2-13;1 Coríntios 12:27-13:3
O discipulado de Jesus tem de ser vivido na realidade do mundo

Dietrich Bonhoeffer

 

É bem verdade que Jesus acabou de ministrar sobre o que significava segui-lo, e vimos que não era simplesmente aderir a um discurso, mas entrar na essência desse discurso(mensagem) através de uma conduta que exige negação de si mesmo. Perceba que depois de ministrar sobre isso no texto anterior ele diz que alguns dali não morreriam sem ver com poder o Reino de Deus. Pois bem , aqui estava o que ele estava se referindo. Pedro, Tiago e João foram esses privilegiados que viram com poder a glória do reino de Deus. A cena da transfiguração de Cristo foi algo celestial jamais visto por qualquer olho humano exceto por esses três discípulos. Foi uma visão, um presente, um momento de fortalecimento pois ao serem ministrados sobre o difícil caminho  que os aguardava ao mesmo tempo foram privilegiados antevendo a glória do Reino de Deus.
Este episodio nos mostra a realidade do grandioso Plano de Deus trazendo Jesus no centro representando o cumprimento da promessa de Deus ladeados por Elias que representava ali os profetas e por Moisés que representava a Lei, além dos próprios Pedro, Tiago e João representando o povo de Deus, chamado e amado por Ele mesmo. Além disso a nuvem que sempre representou a presença de Deus e por fim a voz do alto confirmando esse é meu filho amado, ouçam-no !
O caminho não e de facilidades, a porta é estreita, a negação de si é uma condição fundamental, mas essa é a realidade do Reino de Deus uma glória “indizível” uma realidade que a nossa humanidade comum tem dificuldade de compreender. Aqueles homens precisavam daquele momento para enfrentar o que eles estavam prestes a enfrentar dali em diante.
Não vejo como muito diferente daquilo que nós muitas vezes experimentamos, mesmo sendo em uma dimensão que imaginamos ser de menor grandeza, é tão importante vivermos as experiências com Deus, aqueles momentos onde a Sua presença é quase palpável. Esses momentos servem de fortalecimento pois a vida cristã normal se vive diante de muitos obstáculos e das dificuldades que este mundo nos coloca quase que diariamente, situações que insistem em provar a nossa fé, insultar nossa crença, provocar nossa boa vontade.
Quando conheci a Cristo, dentro da Universidade, me perguntavam se eu poderia provar isso ou aquilo, e eu sempre dizia e continuo dizendo, não posso provar muita coisa e não me interessa fazê-lo, no entanto a experiência que eu vivi com Cristo ninguém pode me provar que não foi real, ninguém, mesmo que tente, pode insinuar que foi algo apenas de meu coração, um choque emocional… já tive alguns desses e sei que meu encontro com Cristo foi uma experiência real, inigualável, inegável que , claro envolveu meu coração, mas foi complementada por todo meu ser , corpo, alma e espírito e disso eu não abro mão.
Meditando nessa passagem, pense nisso, escute oque Deus está lhe dizendo, valorize cada experiência que tenha com Deus, observe as experiências dos santos, e tenha tudo isso como uma reserva de motivação para  aqueles momentos onde a porta se estreita, o caminho se complica, o mar parece que não vai se abrir e firmados naquilo que você vive com Deus possa estar firme na caminhada. E você escutará aquela voz que dirá da mesma forma “Este é o meu Filho amado. Ouçam-no!”
O apóstolo segue sua ministração aos coríntios e traz o ensino ainda centrado na Igreja como Corpo de Cristo, onde cada membro tem seu papel, agora, Paulo afirma que Deus distribuiu dons para o bom funcionamento desse corpo e cada pessoa será sempre equipada com um dom  e ninguém terá todos os dons. E creio que facilmente podemos compreender que Deus em sua sabedoria não nos daria todos os dons pois assim nos bastaríamos e isso é antítese daquilo que Deus, desde o inicio procurou fazer com o ser humano, fomos criados como seres sociais que precisamos dos outros para viver. A vida humana e uma interação e na proposta de restauração de Deus em Cristo isso é um ponto decisivo, o poeta norte americano já dizia que nenhum homem e uma ilha em si mesmo… e essa conclusão não saiu do nada senão da própria essência que Deus colocou dentro de cada um de nós.
Talvez você esteja necessitando se descobrir dentro dessa realidade, talvez ainda seja preciso que você conheça mais de si mesmo para perceber aquilo que Deus tem reservado para sua vida e qual o seu papel dentro desse corpo místico chamado Igreja de Jesus Cristo. Mas uma coisa você sabe e hoje passa a ter certeza, quando Deus disse “ouçam-no” isso envolveria uma negação de si mesmo, um caminho a trilhar, um dom para se capacitar, uma missão para realizar e uma Glória para contemplar. Firme-se nisso e a nuvem de adoração possa lhe envolver.
 
Minha Oração
Jesus, que aminha vida seja um instrumento em tuas mãos e que a cada dia olhando em volta de mim e para minha própria vida eu posa ter sempre a convicção inabalável de que em todo tempo Tu estas comigo.

 

 
Leia Mais

5a feira 30o Dia de Escuta

Dependência
 
Mc 8:27-9:1;1 Co 12:12-27
Nada em mim existe que não seja tudo de Ti
M. Andrade
Hoje eu gostaria de começar pela referencia da carta aos coríntios. Esse texto tem muito a nos ensinar e nesse tempo de escuta, é muito importante que tenhamos um tempo para refletir sobre a nossa dependência de Deus. Pense bem, ou ela existe ou ela não existe. Não há como nos posicionarmos aqui no estilo “parte de mim depende , mas existe uma outra parte não consegue depender. Na realidade ou eu dependo de Deus ou não dependo.
Alguém certa vez me disse que existia um candidato num estado da região setentrional do Nordeste do Brasil que tinha como bandeira de sua campanha a frase “ 90% Honesto”. Verdade ou não isso me serve para dizer que essa pessoa está afirmando a sua desonestidade, ou sou ou não sou , você concorda?
Da mesma forma é a nossa relação com Deus, Ele nos capacita com Dons espirituais, nos habilita a fazer a Sua obra, com Sua ajuda desenvolvemos atividades, ministérios, igrejas e as vezes me impressiona como Deus usa algumas pessoas de uma maneira tão especial e com tanta eficácia. Nesse capítulo Paulo está tentando por ordem no entendimento de que Deus é o autor e consumador de tudo e que em nossas mãos está apenas o executar. Quando vamos além disso, tenha certeza começamos a nossa jornada em direção a queda.
Não sabemos com exatidão todos os detalhes da situação da igreja em Corinto, mas com certeza sabemos que uma de suas dificuldades estava na área da administração dos dons. Seu ensino nos próximos capítulos se concentrará nessa área. Quando passamos a nos orgulhar de nossos dons, habilidades e consequentemente de “nossas”realizações,  terminamos ferindo a nós mesmos e a quem estiver por perto de nós. É bem verdade que todos nós temos dons e todos os dons  vem de Deus, são dados por Ele.  Se não reconhecemos de fato essa verdade terminaremos por assumir o crédito por nossas realizações e já vimos para onde isso nos levará. Ao passo que ao desenvolvermos uma visão ajustada de nós mesmos creditamos a Ele tudo que temos e fazemos e a gratidão é o nosso principal sentimento.
O corpo somente funciona com cada parte cumprindo o seu papel e não há aquele membro que  é mais importante, apesar de em nossa concepção humana e falha somos bastantes tendenciosos a fazer isso. Na vida cristã e na edificação de uma igreja saudável é fundamental que essa compreensão seja muito clara. Cada um de nós tem um papel e cumprí-lo é a nossa tarefa maior.
Agora vamos ao evangelho e vejamos a relação das palavras de Jesus com esse fato inexorável.  Jesus tinha uma missão que somente ele poderia executar, ele veio a este mundo ara isso, se fez carne, habitou em nosso meio, sofreu o que sofreríamos, viveu o que viveríamos e isso, estava muito claro na mente de Jesus. Ele estava se preparando a essa altura para seguir para Jerusalém e assim ser imolado pelos pecados de todo mundo. Mas perceba a reação de Jesus ao ser sugerido por Pedro que ele não deveria seguir a Jerusalém  e assim sofrer, morrer e cumprir seu papel de salvador do mundo. Claro que Pedro não tinha noção do que estava dizendo, mas pareceu ser usado pelo diabo e por isso a repreensão de Jesus “ para traz de mim satanás” . Tudo aquilo que impede que possamos cumprir cabalmente o nosso papel, ministério e vocação é  obra maligna e deve da mesma forma ser repreendido. Deus nos deu dons para serem usados, talentos para serem disponibilizados, enterra-los, esconde-los ou simplesmente agir com displicência com respeito a eles é permitir que o diabo vença esta etapa em nossas vidas.  
Estamos vendo Jesus ministrar , não àqueles discípulos apenas, mas a cada um de nós. Escute o que a Palavra está soprando em seus ouvidos hoje. As vezes isso requer renuncia, requer deixar de lado alguns projetos pessoais ou mesmo anula-los definitivamente. Minha vida tinha um plano traçado por mim e outro que eu não conhecia bem, mas tinha sido traçado por Deus. Me lembro de que quando recusei uma convocação de um órgão publico por um concurso que havia prestado recebi com espanto em seu rosto a secretaria daquele órgão que, vendo meu semblante tranquilo dizer a ela que não iria aceitar, não conseguia entender aquela chance “ desperdiçada”.
Alguns anos depois, pedindo demissão da empresa publica que trabalhava e me despedindo do presidente, recebi dele uma “confissão” , “eu acho que você está muito convicto do que está fazendo, vejo que isso está lhe deixando feliz, parabéns por seguir esse chamado”
Negar a si mesmo tem esse tipo de significado e seguir a Jesus requererá de nós sempre atitudes que façam jus ao que ele mesmo colocou: de que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma. Perderia minha alma se não tivesse seguido o chamado de Deus, não perderia a salvação, mas perderia sim a razão de minha existência pois como digo sempre “ o sentido da vida está em conhecer a vontade de Deus para a sua vida.
Escute hoje o que Deus está lhe dizendo, para o que ele está lhe chamando, onde ele quer lhe colocar, a quem ele deseja que você fale. Saiba que os dons que ele lhe deu, os talentos que ele colocou em sua vida, a habilidade que você desenvolve seriam pobremente utilizados se servissem apenas para que você tivesse uma boa vida, um bom emprego, ganhasse dinheiro e assim, imaginasse estar feliz. Deus quer mais de você, mas para isso comece a negar a si mesmo e creditar a ele tudo aquilo que dele tem recebido, devolvendo para ele a glória e retribuindo com um coração agradecido sendo um agente de seu serviço, sempre.
 
Minha oração
 
Senhor, vejo os talentos em mim, mas me ajude a creditar a ti todos eles e a retribuir com minha vida e com os frutos desses talentos, realizando para ti aquilo que de mim desejas. Me ajude nisso quero negar a mim mesmo e em minha dificuldade preciso de tuas mão, me segure

             
Leia Mais

4a Feira 29o Dia de Escuta

Sou um Milagre

 Marcos 8:11-26;1 Coríntios 12:1-11

Crer somente no que é possível não é fé, senão simples filosofia
Thomas Browne

 

O episódio de hoje do evangelho de Marcos nos reporta aos milagres, sinais e as maravilhas que Jesus fez e que claro, continua fazendo até os dias de hoje. O simples fato de estarmos aqui lendo, meditando em Suas Palavras, orando e buscando a compreensão de Sua perfeita vontade, já se constitui em uma maravilha, um verdadeiro milagre de Jesus, especialmente quando olhamos para o passado e percebemos que Ele, de fato, nos resgatou de uma vida sem sentido, para ao Reino do filho do Seu amor, como bem afirmou o apóstolo Paulo.
Jesus como que “perde a paciência com as pessoas que insistiam na manifestação de sinais. A incredulidade dos religiosos, embaçada pelos seus interesses políticos, transformaram esses religiosos em verdadeiros algozes de Cristo. E, percebemos aqui que a sua paciência tinha limite quando lidava com a incredulidade daqueles que mais deveriam estar crendo. O s sinais já estavam claros, as profecias estavam sendo cumpridas.
No entanto, até mesmo o próprio grupo dos discípulos seguidores próximos de Cristo ainda tinha uma mente confusa e as vezes não compreendia o que Jesus mostrava. Eles entram no barco e Jesus os adverte do fermento dos fariseus, se referindo ao que eles tinham de ruim que poderia levedar toda a massa da espiritualidade de Israel. Mas eles, não entendem, ficam indagando, e mencionam a duvida se era pelo fato de eles não terem pão.. Perceba que Jesus agora se dirige a eles com rigor, já não bastavam os fariseus, agora seus próprios amigos, seus discípulos que recém tinham visto sete pães e dois peixes se multiplicarem em milhares, que tinham presenciado sim, verdadeiros e evidentes sinais agora ficam indagando com dúvidas infantis? E finaliza vocês não entendem? Interessante notar que ao sair dali, ele realiza mais um milagre e cura um cego fazendo-o enxergar diante de todos.
Não estranhe a atitude de Jesus em endurecer o seu discurso com essas pessoas, pela fragilidade de sua fé. Talvez a leitura lhe leve a pensar da mesma forma que Jesus e até mesmo a dizer: “como eles podiam duvidar?” Deixe-me dizer como, da mesma forma que nós, mesmo diante de tantas evidências, também duvidamos em diferentes ocasiões, negamos com nosso silêncio ou com nossos ruídos desordenados. Esses homens, mesmo caminhando com Cristo, eram homens, frágeis como eu e você em nossa caminhada na fé. A exortação inicial de Jesus “Cuidado com o fermento dos fariseus” é bem pertinente, esse fermento que nos afasta da graça e nos transporta com rigidez para a aridez da Lei, retirando de nós o senso de misericórdia. Quando isso acontece, a incredulidade bate em nossa porta.
O nosso espanto diante de um milagre realizado por Deus mediante a nossa oração mostra bem que nosso coração pende mais a não crer do que a crer. Para isso, devemos estar bem junto de Cristo, fazendo isso que você está fazendo, lendo a Sua Palavra, orando, refletindo, meditando, pois as oportunidades de nos afastarmos ganham em muito daquelas que nos levam a uma maior aproximação dele.
O apóstolo Paulo nos leva hoje a refletir nos dons e mais ainda na possibilidade de Deus nos usar, pessoas comuns para a realização de sua obra, de milagres, maravilhas e tantas coisas que estão dentro de seu perfeito plano. Os milagres não ficaram nos evangelhos nem se limitaram ao seu tempo. Deus em Sua imensa sabedoria e providência tem nos equipado, através do Espírito Santo com Dons, seus presentes da graça para darmos continuidade à sua Obra nesse mundo.
Hoje, levante para um dia especial, diga para esse mundo o Deus que você crê, mostre com graça o amor dele, desconstrua com a sua vida os conceitos e pré-conceitos construídos e que permeiam essa geração incrédula. Assim você será o milagre que muitos precisam ver e fará as maravilhas que tantos necessitam.
Quando você se levantar agora, após fazer sua oração, mais um milagre acabou de acontecer, na sua própria vida. Você parou cerca de 10 minutos em meio a um tempo onde se diz que isso significa ouro. Você é um milagre!
 
Minha Oração
 
Senhor Jesus, usa-me como Teu instrumento
 

 

 

 
Leia Mais

3a Feira 28o Dia de Escuta

Pão da vida, na mesa e no coração

Marcos 8:1-10;1 Coríntios 11:17-34
Aqueles que veem as mãos de Deus em todas as coisas, devem deixar todas as coisas nas mãos de Deus !
                                       Walter B. Knight
 
O mais nobre sentimento que alguém pode nutrir por outra pessoa, creio eu, é a compaixão. Quando um coração está cheio de compaixão, significa que existe uma ferida aberta que incomoda, dói, machuca quando vemos alguém sofrendo. A compaixão é como um nervo aberto, sensível e que por pouco sente a dor do outro. O texto do evangelho começa dizendo que Jesus teve compaixão daquele povo. Que povo era aquele? Segundo a maioria dos estudiosos nessa 2a multiplicação dos pães e dos peixes Jesus estava lidando com uma maioria de gentios ou seja essas pessoas não eram majoritariamente Judeus. Moravam em Decápolis cidade conhecida por maioria gentílica.
Perceba que Jesus, havia dito que seu foco principal era o povo de Israel, mas seu coração nunca pode pertencer a um povo ou a uma nação. Ele veio para todos aqueles que de coração aberto o recebessem e isso ficou claro mesmo na fase inicial de seu ministério quando ministrava principalmente aos Judeus.
Uma multidão faminta, uma multidão em busca de esperança, em busca de uma palavra de consolo, de amor, esses eram os que ali estavam seguindo a Jesus e caindo ficaram desguarnecidos, provavelmente porque a sua atenção estava em ouvir a Jesus. O Senhor, se compadecendo deles realiza pela 2a vez uma multiplicação milagrosa de peixes e pães. Não podemos tratar esse segundo milagre como algo sem relevância, apenas uma repetição do primeiro, especialmente pelo fato de estar falando a uma maioria não judaica.
Jesus disse que era o pão da vida e quem comesse desse pão jamais teria fome. A compaixão de Jesus nunca permitirá que você tenha fome de Deus, Ele mesmo saciará sempre essa fome com sua presença consoladora, seu amor infinito, suas palavras doces aos nossos ouvidos, seu consolo indescritível. Aquela multidão não fazia ideia do que aconteceria e de como a sua sede seria saciada, mas optou por estar com Ele mesmo assim. Essa é a atitude que precisamos ter. Sempre.
Chegamos à carta aos coríntios e na continuação Paulo está ministrando para aqueles crentes que não haviam compreendido ainda a realidade do que seria o verdadeiro amor de Deus. Sinceramente, creio que apenas rotular esses irmãos de Corinto como cristãos carnais não ajuda muito, pois nós também nos expressamos de algumas maneiras que facilmente poderíamos ser rotulados de carnais. A falta de limites nas celebrações do ágape ( ceia) era uma das coisas equivocadas desses irmãos. Eles estavam comendo a Ceia equivocadamente e usando aquele momento para outros prazeres que não a memória da morte e ressurreição de Cristo. No entanto fico pensando, se o apóstolo desse uma passadinha em algumas festinhas de igrejas evangélicas, talvez se escandalizasse com a atitude de tantos que se jogam em direção às mesas numa gincana do tipo quem pega mais e o que pega de mais.
Paulo esta lidando com cristãos novos, pessoas que habitavam em uma cidade marcada pelo paganismo e divindades e cultos pagãos. Interessante porque o motivo da exortação do apostolo se trata exatamente de comida e da maneira que eles estavam comendo e celebrando a Ceia do Senhor. Mas perceba que a primeira exortação se refere à divisão que existia entre eles, portanto vamos de antemão lembrar que como cristãos somos um corpo, uma igreja e uma das maiores expressões de carnalidade é justamente a falta de sensibilidade para com as diferentes comunidades cristãs. O exclusivismo não faz parte do coração compassivo de Jesus.
De uma forma ou de outra, Jesus será sempre o Pão da Vida, alimentando milhares ou sendo lembrado numa mesa, em torno do pão e do vinho. É Ele quem está conosco, É Ele quem consola, conforta, supre, alimenta o corpo com sua provisão e a alma com o seu Espírito
Tenha certeza de que Jesus está a seu lado, bem aí nesse exato momento, pronto para lhe direcionar para o lugar de abundancia, fartura e prazer e esse lugar não se pode descrever exatamente pois para cada pessoa terá sempre uma conotação particular. Para mim pode ser um livramento de qualquer tipo, pra você pode ser uma palavra de consolo. Não importa, importa sim que Seu coração compassivo nunca permitirá que soframos pelo que Ele mesmo já sofreu em nosso lugar.
Venha para perto de Jesus, ele proverá, celebre Jesus sempre e quando estiver em torno da mesa lembre que aquela mesa é a mesa da provisão pois registra a maior expressão de amor que já se viu, um justo morrer pelo pecados de todos e um Deus que entrega esse justo, seu filho para nossa salvação.
 
Minha Oração
Deus querido nesse dia onde pude refletir sobre a Tua perfeita provisão , me ajude a perceber a grandeza de Teu poder e de Tua misericórdia. Não permita que minha mente racionalize tanto que embace meus olhos nem que meu coração se endureça ao ponto de não me permitir perceber a Tua doce presença e provisão

 

 

 

 

 
Leia Mais

2a Feira 27o dia de Escuta

Peço, mas Deus Realiza
Marcos 7:24-37;1 Coríntios 10:14-11
As pernas que tremem devem ajoelhar-se
E.C. MacKenzie

 Hoje voltamos a evangelho de Marcos e na sequência do ministério de Jesus vamos encontra-lo  diante de muita gente que o procurava. Diz o texto que ele tentou se esconder, mas não conseguiu. Não devia ser fácil para Jesus circular livremente pois realizando as obras que vinha realizando inevitavelmente atraia para si as multidões em busca de uma esperança para seus males.

Aqui o evangelista narra mais uma ocasião onde a graça de Deus é manifesta e milagres acontecem. Uma mulher grega, não era uma das filhas de Israel, a essa altura Jesus ministrava ainda para os Judeus quase que exclusivamente, mas a resposta daquela mulher  chamou a atenção de Jesus, ela insistiu em ser “atendida”  e por isso mesmo foi. O resultado foi a libertação de sua filha que sofria com uma opressão maligna.

Nosso relacionamento com Deus, fica mais uma vez claro, deve ir além de normas e regras, além de formalidades litúrgicas e deve sim, se transformar em um constante diálogo, conversas, partilha de sentimentos como também de nossas ansiedades. Nada podia incomodar mais aquela mulher que sua filha sendo possuída por um demônio. Quem já presenciou cenas como essas pode ter a certeza do quão deprimente isso é, ver alguém que você ama, tomado por um espírito maligno.

Mas a palavra de fé, e a insistência daquela mulher que por ser grega, não judia, inicialmente não estava na lista das “prioridades” de Jesus, trouxe para si a atenção do mestre. O mundo em que vivemos jaz no maligno, isso significa que as estruturas deste tempo são dominadas em todas as suas instancias pelas hostes do mal, pelo demônio em si. Não precisamos fazer muito esforço para perceber isso, mas precisamos sim, manter nossos olhos espirituais atentos porque as situações que nos cercam, as pessoas que as vezes estão bem próximas de nós podem estar sim envolvidas por esse “cosmos” e servindo a estas hostes malignas.

No entanto, a nossa esperança está focada e fortemente fundamentada naquele que libertou a filha dessa mulher e tem libertado a todos aqueles que a ele se voltam e como ela mesmo fez, clamam por socorro, ajuda, consolo. O poder de Jesus Cristo vai muito além de nossa limitada capacidade de entendimento. Aprendi com meu primeiro bispo e mentor espiritual que em cada momento onde solicitamos a Deus a sua intervenção não podemos ter a certeza de que o que pedimos vai necessariamente acontecer como queremos, mas temos sim, a certeza de que o nosso papel é interceder, pedir e que segundo a sua perfeita vontade algo irá acontecer e que sempre será para o melhor. Desde então aprendi que meu papel como cristão é fazer o que ele pede, orar, insistir, clamar e o que vem além disso não tem a ver comigo e sim com a sua soberana vontade.

Nunca esqueça que aquele que lhe chamou para junto de si, cuida e cuidará de você da melhor maneira possível, seu plano é perfeito e sua vontade, insondável aos nossos limitados olhos. No momento que escrevo essas linhas estou em uma clínica hematológica onde me submeto a uma medicação que ainda faz parte do tratamento de um câncer que contrai faz mais de dois anos. Nesse mesmo lugar, cheguei inicialmente sem poder andar, gemendo em dores em uma cadeira de rodas. Hoje me vejo aqui sentado nas mesmas poltronas, vim até aqui dirigindo por mim mesmo, me sento tranquilo, trabalho nesse texto, não tenho mais aquelas dores e isso, ha alguns meses seria algo impossível de se imaginar, mas a verdade é que aqui estou, pela exclusiva misericórdia de Deus. Nunca deixei de clamar, nunca deixei de crer e continuo assim, firme no entendimento de que essa é a dinâmica da fé, faço o que de mim é solicitado, e Deus fará sempre a parte dEle e essa é a Sua soberana ação.

A epístola nos lança para a memória de que Jesus se deu por nós e seu corpo e seu sangue representados na Santa Ceia nos lembram isso frequentemente e nos chamam à unidade da fé. Os que adoram, servem, e sacrificam a ídolos fazem isso e comprometem suas vidas a esses mesmos ídolos, mas nós somos chamados a viver a dimensão mais profunda da fé, a coerência de nossas palavras com nossas ações. Não podemos dividir o altar de nossas vidas com as coisas de Deus e as coisas deste mundo imergido no maligno. Perceba que Paulo nos mostra a liberdade que temos em comer o que quisermos, mas nos adverte a termos o discernimento para agir de maneira que não possamos trazer escândalo aos que nos cercam.

Na sua vida, o mal estará sempre em volta, o mundo que jaz no maligno mas o Senhor de sua vida é quem dá o ritmo de sua existência. Tenha sempre equilíbrio para perceber o que lícito e o que é permitido e o que convém. Tenha a certeza de que Ele em Sua imensa misericórdia estará sempre por perto e o seu clamor, como o da mulher grega, chegará sempre aos seus ouvidos e a sua doce voz chegará sempre até você mostrando o caminho, a atitude e trará sempre libertação.

 Minha Oração

Pai, te peço hoje que me permitas o discernimento necessário para perceber a malignidade das coisas e fatos que me cercam, o equilíbrio suficiente para saber me comportar diante de cada uma dessas situações e a certeza inabalável de que estas sempre por perto e ao meu clamor, tua prioridade será sempre o melhor para mim.

 
Leia Mais

Domingo 26o Dia de Escuta

Nos Braços do Pai
Lc 15:1-3, 11b-32;2 Co 5:16-21
Se Deus não estivesse disposto a perdoar os pecados, os céus estariam vazios
Proverbio alemão
A maioria das pessoas olha para esse texto sob uma perspectiva que, apesar de não ser incorreta, limita aquilo que essa rica passagem tem para nos ensinar. Gostaria de lhe apresentar uma perspectiva que vai além da atitude do filho, chamado de pródigo pelas suas atitudes e que nos mostra um Deus que abre seus braços para aquele que, desviando-se do caminho da Graça se perde nos atalhos de sua própria vontade.
Perceba que do outro lado de um filho pródigo, existe um pai magnânimo, amoroso, que espera, que acolhe, e que ama acima de tudo, acima mesmo de nossas equivocadas decisões.
É sempre bom perceber os seguidos equívocos deste filho, até porque, nos ajuda a enxergar com a franqueza que se faz necessária, as nossas próprias atitudes tantas vezes semelhantemente equivocadas.  De alguma forma todos nós somos pródigos e o que me consola é olhar para essa penetrante parábola e conseguir me enxergar nela como alguém extremamente carente dos braços desse Pai, que ali estava  pronto para acolher aquele que o havia deixado.
Este é o angulo que gostaria de focar nossa reflexão hoje, essa maravilhosa figura de um Deus que abre os braços para cada um de nós, mesmo diante de nossos desvios. Você com certeza deve saber do que estou falando, você deve se conhecer bem o suficiente para reconhecer a sua grande necessidade de perdão, você com certeza sabe o quanto é importante enxergar de longe os braços abertos de um Pai que, sem olhar para a dimensão de seu erro, enxerga seu coração arrependido e carente.
Sempre irão surgir aqueles que não entendem esses braços abertos, aqueles que criticarão todo olhar de misericórdia porque somente enxergam as coisas pelos olhos de uma rigidez legalista e como tenho dito, quando o legalismo entra por uma porta o amor de Deus sai por outra. No dia a dia de sua existência é bem possível que existam situações que espelhem essa realidade, mas além de reconhecer-se como pródigo, nunca se esqueça que ali está, bem adiante, um Pai magnânimo de braços bem abertos. Esses braços lhe acolherão mesmo quando todos os demais se fecharem, esses braços lhe aqueceram , mesmo quando a frieza das mentes cauterizadas recusarem-lhe um espaço.
A segunda carta de Paulo aos coríntios vai nos mostrar hoje que se estamos em Cristo somos novas criaturas e isso consola o nosso coração naqueles momentos onde mesmo nos tornando pródigos temos dentro de nós o Espírito de Deus que nos dá a convicção e o entendimento que o cair e do homem , mas o levantar é de Deus. As coisas velhas passaram e tudo se fez novo, que sentença de vida em meio a tantas sentenças de morte que recebemos as vezes de pessoas em volta de nós mesmos.
Esse Pai magnânimo nos reconciliou consigo em Jesus Cristo. Por isso hoje, se você tem a certeza de que um dia entregou a sua vida a Jesus Cristo, de que confessou a Ele como seu único e suficiente salvador, que confiou a ele a sua eternidade, saiba que nada, nem ninguém pode lhe separara do Seu imenso amor.
Receba hoje essa palavra de animo em meio a possíveis gritos que tentam lhe desanimar, vida em meio a tantos exemplos de morte que talvez lhe cerquem e eternidade, em meio a tantos e exagerados sopros em seus ouvidos de que nessa vida tudo se resolve por aqui mesmo. A bem da verdade, se resolve aqui, mas as consequências nos acompanham para toda a eternidade.
O Pai está bem ali, de braços abertos e lhe recebe com nova criatura mediante o reconhecimento de seus erros, pecados e desvios. Corra para os seus braços.
Minha Oração
Meu Pai, obrigado pelos teus braços sempre abertos, pela tua mão sempre estendida, pela tua graça sempre presente. Quero ser essa nova criatura. A cada dia me traz renovo e fecha meus ouvidos para todas as setas do maligno que tentam me dizer algo diferente disso.

Leia Mais

Sábado 25o Dia de Escuta

Essência
Marcos 7:1-23;1 Coríntios 10:1-13
Ritos e cerimonias colocam-se entre Deus e mim, e se tornam um ídolo,
a não ser que me conduzam a Cristo.
Stanley Jones
 
A caminhada de Jesus pela palestina de então deu oportunidade para que ele ministrasse em diferentes situações e trouxesse o puro ensino de Deus, aquele que renovava as mentes e os corações, mas que da mesma forma escandalizava os mestres da lei, acostumados a dominar o povo com seus ensinos que muitas vezes iam além da própria lei e se misturava com uma tradição que eles mesmos criaram ou que, encontrando nas Escrituras, davam a elas a relevância que dela nunca foi requerida.
Aqui estamos em mais de uma dessas situações onde Jesus questiona os seus corações e põe em duvida a sinceridade de suas intenções.  A tradição judaica da purificação não era um mal em si mesma, era sim uma maneira que Deus havia encontrado de manter a higiene no meio de seu povo assim como alguns mandamentos que foram colocados por Deus durante o período que estiveram peregrinando pelo deserto por quarenta anos. Sabemos hoje que essas regras salvaram aquele povo de uma possível exterminação no deserto por doenças e contaminações. Hoje sabemos que a carne de porco por exemplo precisa ser bem tratada sob risco de trazer doenças, mas seria difícil para Deus explicar àquele povo esses detalhes que hoje conhecemos e, a proibição do consumo daquele tipo de carne os livrou de muitos males. Deus mostra assim a sua onisciência.
Para muitos dos líderes judaicos a tradição começava a suplantar a Palavra revelada de Deus e o ritualismo começava a substituir o relacionamento com o Senhor além disso, a reputação vinha se tornando mais importante do que a verdadeira piedade. Jesus foi direto quanto a isso, classificou essa atitude de hipocrisia. Nossa espiritualidade necessitará sempre de uma sincera manifestação interior quanto exterior, resultado de nossas atitudes.
Quando Jesus ensina que o que contamina o nosso ser não vem necessariamente de fora e sim o que vem de dentro, ou seja das intenções do coração, ele choca a sua audiência religiosa, escandaliza os mestres da lei, quebra costumes e tradições que como vimos vinham se sobrepondo à própria lei. O sábado veio para o homem e não o contrário, a lei veio para beneficiar o ser humano e não para domina-lo, escraviza-lo, mantendo-o em um constante clima de tensão pelo temor de quebrar a norma e nem sempre de estar desagradando a Deus. 
Para mim e para você, deve ser salgo encorajador saber que Deus vai ao nosso mais interior em busca de solucionar a raiz dos nossos problemas e não nos manter aparentemente santos enquanto nosso interior despenca e se desagrega. Foi por coisas desse tipo que Jesus chamou os fariseus de “sepulcros caiados” limpos por fora e apodrecidos por dentro.
O mero tradicionalismo vivido por aqueles líderes e muitas vezes vividos em nossos tempos contradiz frontalmente as palavras de Jesus, mostra a face hipócrita de nosso relacionamento com Deus, valoriza a forma e desmente toda a verdade. Eu e você sabemos que nos dias atuais existe muito desse tipo de atitude, muito de tradicionalismo cristão seja ele evangélico, católico romano, pentecostal e de outras matizes do cristianismo, e isso tem afastado o evangelho de muita gente. Talvez você mesmo seja alguém que guarda uma reserva quanto a fé por conta de atitudes extremadas de pessoas que assim se comportam.
Não tenha isso como padrão, o verdadeiro evangelho e a sua pureza de ensino continua valendo e está bastante vivo em nosso meio. A tradição em si não traz nada de mal, elas existe como que uma moldura para trazer significado ao que se pretende apresentar, não foque seu olhar nessa moldura, mas olhe para a fotografia desse lindo quadro que é a perfeita Palavra de Deus, procure vivenciá-la e se beneficiar de tudo que ela promete e realiza.
Paulo na sua carta aos coríntios está tentando mostrar que todos tiveram que passar por semelhantes experiências  e que assim todos foram beneficiados dessas mesmas experiências. O povo que passou pelo deserto viveu as mais profundas experiências e mesmo assim, dia o texto, Deus não se agradou de muitos deles, esses foram aqueles que não assimilaram com o coração, mas apenas seguiram a nuvem como guia de suas mentes e não de seus corações.
Nos dias de hoje, que Paulo classifica como final dos tempos, as coisas continuam indo nessa direção, os corações muitas vezes estão empedernidos, as mentes cauterizadas e a cegueira espiritual faz parte de um caleidoscópio de multicoloridas opções que se não discernidas à luz das Escrituras e com o discernimento que tudo isso requer, pode nos levar ao mesmo erro de passar pelo deserto, seguir a nuvem, mas estarmos apenas seguindo com a mente, investigando coma razão, mas tendo o nosso coração distante daquilo que seja a perfeita vontade de Deus. O consolo vem do conselho apostólico de que não há tentação que não seja humana e que com Deus podemos vence-la.
Hoje, entenda que quando você se decidiu por seguir a Cristo, decidiu seguir a um ensino, a uma doutrina, a uma maneira de enxergar o mundo que está por detrás de tudo que aparentemente existe e que nossos olhos mortais podem alcançar. Toda a tradição pode ser boa para nos mostrar, como moldura a verdadeira imagem de Deus, o que passar disso seja anátema.
Minha Oração

 

Meu Pai, me deixa enxergar apenas a verdadeira imagem, me dá discernimento para ver até onde a moldura de minha humanidade não se confunda com a tua perfeita vontade.

 
Leia Mais

6a Feira 24o Dia de Escuta

Graça suficiente

Marcos 6:47-56;1 Coríntios 9:16-27
Quando estou fraco, ai que sou forte
Paulo apóstolo
Hoje nos deparamos com dois textos que nos mostram situações e atitudes díspares. O evangelho vai nos mostrar que Jesus “dispensou” os discípulos em um barco  e subiu ao monte para orar, para estar com Deus. Lembre que ontem vimos que eles tinham acabado de realizar uma tarefa estafante, tinham alimentado uma multidão de mais de 5 mil pessoas, um milagre de multiplicação do pouco alimento disponível naquele local. Eles já estavam cansados antes e Jesus então se recolhe para estar com Deus. No entanto, mais uma vez ele interrompe seu tempo a sós para socorrer pessoas, desta feita ele percebe que seus companheiros estavam com dificuldades de vencer o forte vento remando naquela embarcação.
Mais uma vez seu coração misericordioso fala mais alto, afinal de contas esse é o coração de Deus. Ele sai de seu pequeno retiro e vai em busca de acudir os seus. Mas curiosamente o texto mostra que os discípulos tinham ainda um coração endurecido. Mas como podemos perguntar, eles acabaram de presenciar um milagre tão relevante ou mais do que Jesus andar sobre as águas, viram cinco peixes alimentar mais de cinco mil pessoas, e seus corações ainda estavam endurecidos?
Não se espante com isso, a natureza humana tem dessas ambiguidades, nossos olhos presenciam milagres mas nossos corações não seguem na mesma proporção quebrantando-se com facilidade. Lute contra todo tipo de incredulidade como quem luta com o seu maior inimigo pois a fé é a certeza das coisas que não conseguimos ver ainda, qualquer ameaça a essa certeza deve ser vista como um grande e poderoso inimigo. Lembre que a descrença impediu milagres na terra natal de Jesus e diante do túmulo de Lazaro Jesus afirmou: “ se creres veras a glória de Deus”.
Por outro lado a epistola vai nos mostrar algo bem diferente. Um homem que passou de perseguidor a seguidor, de algoz a perseguido e que agora não encontra obstáculos para cumprir a tarefa que lhe foi dada. A declaração de Paulo emociona quando vista sob a perspectiva de quem esse homem foi e o que ele viu. Paulo foi o que já comentamos, mas ele não viu sequer um só milagre de Jesus, não presenciou uma oportunidade onde Jesus em carne tenha feito algo sobrenatural, passou a perseguir a igreja nascente após a morte de Jesus, mas aquele encontro perto de Damasco foi o suficiente para encher seu coração de um animo  constante e uma diligencia incomum.
Paulo, diferente dos discípulos naquele barco, tinha um coração já amolecido pelo reconhecimento da Graça de Deus, o reconhecimento de quem ele era e a consciência de que Jesus o amou tanto ao ponto de restaurá-lo e chama-lo para uma tarefa tão nobre deu a ele a certeza que ele precisava para sair sem temor e como ele mesmo disse, de graça anunciar o evangelho.
A narrativa apaixonada de Paulo dizendo que de tudo ele fez para ganhar a todos que pudesse mostra onde estava o seu coração, onde estava centrada a sua inabalável fé e esse lugar era a maravilhosa graça de Deus. Isso bastou a Paulo e a pergunta que devemos nos fazer hoje é, o que nos será suficiente, o que nos será necessário, o que nos motivará a sair e anunciar o amor de Deus de maneira tão contagiante.
Os discípulos ainda estavam com seus corações endurecidos, mesmo andando alí pertinho de Jesus. Paulo tinha o destemor mesmo nunca presenciando um milagre, no entanto ele se fez milagre inúmeras vezes, foi instrumento outras tantas e continua sendo até os dias de hoje em nossas vidas.
Hoje você está sendo confrontado(a) com a verdade da fé, a fé consequente, a fé que motivada pela graça de Deus se lança aos maiores desafios e gratuitamente assim como recebeu se faz de tudo para com todos. Pense hoje em sua existência, pense naquilo que tem sido a sua vida, o testemunho que você tem dado, o exemplo que tem deixado, o coração que tem cultivado. Estamos diante de duas possibilidades, ver, presenciar, conviver com os milagres e não reconhece-los endurecendo nossos corações ou, entendendo a graça e seus braços de misericórdia, ter suficiente motivação para viver com toda a intensidade a beleza e a riqueza da fé que você tem em Jesus Cristo, fazendo dele a razão de sua existência  e da mesma mostrando a a todos a razão da esperança que há em você.
Minha Oração
Senhor, que a minha vida resgatada diante de tua imensa misericórdia. Me seja suficiente para ter um coração amolecido pelo Teu amor.

Leia Mais

5a Feira 23o Dia de Escuta

Tempo é mais que ouro, tempo é sagrado
Mc 6:30-46;1 Co 9:1-15
Falta de tempo é desculpa daqueles que perdem tempo por falta de m´wetodos
Albert Einstein

 

Hoje estamos vendo Jesus chamando os seus discípulos para um tempo de descanso, um repouso e o evangelista comenta “ …e não tinham tempo nem para comer  apesar de existirem pessoas que usam esse texto para justificar até férias de luxo, não podemos fugir da necessidade de repouso em meio a missão, a labuta, o trabalho do dia a dia seja ele no ministério ou em qualquer área da vida. É comum se escutar de pessoas, com um tom de orgulho, sobre a escassez de tempo que suas vidas atarefadas provocam. Compreendo nisso uma necessidade pessoal de se justificar e de transparecer para um mundo que demanda coisas desse tipo e que tipifica o descanso como algo desprezível e reservado aos fracos.
Mas não é assim que Jesus entende, não é assim que a Bíblia nos ensina. Aqui nesse texto o grupo estava aparentemente estafado, a tarefa de evangelizar tomava deles todo o tempo, estavam cuidando das coisas de Deus e, em um caráter de urgência. Mesmo assim Jesus os chama para repousar.
A demanda no entanto era imensa e o coração misericordioso de Deus se expressa na decisão de cuidar daquela multidão que a seus olhos, eram como ovelhas sem um pastor… ovelhas sem pastor são desprotegidas, frágeis, expostas aos perigos dos lobos que estão sempre ao derredor. Em meio ao descanso virá sempre a demanda da missão e as duas coisas devem caminhar juntas em nossas vidas. O coração largo deve estar sempre pronto a acolher, a cuidar, a ouvir, consolar.
Talvez seu tempo seja escasso e para você tenho uma palavra, atente para organiza-lo de maneira que possa servir a Deus e cumprir com todas as suas obrigações. Nunca se orgulhe de não ter tempo para nada, isso pode revelar uma vida em pecado, o pecado da ausência de uma visão de mordomia que se alinhe com o propósito de Deus. A perfeita vontade de Deus mostrará sempre que há tempo para tudo e a sabedoria de Eclesiastes já afirmou isso. Desta forma resista a tirania do tempo, rejeite o padrão mundano de ver as coisas e observe-as na perspectiva de Deus.
Se você é um pastor, missionário que trabalha de tempo integral na obra de Deus, entenda que o seu tempo precisa ser regrado segundo a perfeita vontade de Deus e que repousar faz parte de sua espiritualidade equilibrada. Enquanto escrevo essas linhas estou em meu dia de descanso, repousando com minha esposa, hoje já nos divertimos, relaxamos, conversamos, planejamos e nos demos o direito de desfrutarmos de nossa mutua presença, isso para nós é algo resolvido, o que lamentavelmente não o é para muitos lideres cristãos que se sentem intimidados de passear em um shopping center ou um cinema com receio de ser visto pelos outros como alguém que não trabalha.
Paulo, coloca na epistola uma comparação clara entre o trabalho e a tarefa da evangelização com qualquer outro trabalho, seus exemplos, retirados das escrituras judaicas, o Antigo Testamento, são todos colocados de maneira a questionar o tipo de trabalho que é a obra do ministério cristão. Atente para o que ele escreve, veja que é uma clara resposta a pessoas que estavam questionando seus direitos de ser remunerado, de ter uma esposa, de ter dignidade naquilo que executa. A nobreza da tarefa do ministério é portanto inquestionável.
Mas talvez você não seja um obreiro, pastor e assim não se encaixe nesse específico contexto. No entanto, você deve saber que cada cristão é um ministro de Deus. Uma das marcas das Escrituras Sagradas do Novo Testamento é a chamada a todos para serem sacerdotes, o que chamamos de sacerdócio universal significa exatamente isso, não há mais empecilhos, não há mais barreiras e todos temos acesso à plena presença de Deus como privilégio e assim temos também , segundo o mesmo apóstolo, o ministério da reconciliação, somos embaixadores de Cristo nesse mundo.
Portanto hoje, vimos o quanto é importante ter a noção exata do que significa trabalhar e repousar, cumprir o ministério, a missão, dentro daquilo que Deus nos chamou. Onde você esteja, qualquer que seja a sua vocação lembre-se sempre que Deus tem uma obra a realizar através de sua vida e somente você poderá realiza-la. Busque isso dentro de todo equilíbrio, estando assim dentro do propósito de Deus.
Minha Oração
 
Senhor, me ajude a dispensar tempo para tudo que preciso e que assim eu possa fazer tudo que tu precisas cumprindo assim minha missão.
Leia Mais

4a Feira 22o Dia de Escuta

  Verdade, nada mais que ela
Marcos 6:13-29;1 Coríntios 8:1-13
O falso é tão vizinho do verdadeiro, que o sábio não deve aventurar-se num desfiladeiro tão perigoso

Cicero
 
O evangelho vai nos trazer hoje uma lição que deveremos guardar em nossos corações e ter em nossas mentes sempre que situações adversas nos encontrem. Herodes era um líder que não convivia com a verdade, tinha profundas dificuldades de enxergar qualquer coisa que ameaçasse o seu poder. Um tipo de homem que não se permitia ser admoestado e quando João Batista o exortou a respeito de seu casamento imoral com a mulher de seu irmão. João pagou com a sua própria vida e por ser alguém que fugia da verdade, tentou fazer com que ela se calasse.
A lição importante que aprendemos com essa passagem é que a recusa em enxergar a verdade sempre tem consequências maléficas para nossas vidas levando a um sofrimento e destruição ainda maiores. A sabedoria nos diz que é importante agir diante dos “avisos” que recebemos. Essa história nos mostra que quando fazemos diferente disso, retardando a nossa ação os problemas apenas irão se acumular e a tomada de decisão cada vez se tornará mais difícil. Jesus nos ensinou que a verdade liberta, que andar ao lado da verdade sempre nos conduzirá a mares tranquilos ainda que as nuvens anunciem uma possibilidade de mau tempo. Herodes vendeu-se pela mentira, comprometeu sua vida por uma paixão.
Não me parece nem um pouco distante de situações em que somos colocados no dia a dia de nossa existência, tenho dito que as oportunidades de comprometermos a verdade e a nossa aliança com ela surgem em muito maior número do que aquelas que nos ajudam a manter nossa palavra e postura. Não é sem motivo que em seu modelo de oração  Jesus nos indica a interceder ao Pai para não cairmos na tentação que se coloca frequentemente diante de nós.
Ao contrário de Herodes, fuja de todas as situações em que a possibilidade de comprometer a verdade se aproxime de você, melhor ainda, esteja firme e saiba que se precisar enfrentar situações em que ela esteja em risco, enfrente-as com a firme certeza da promessa daquele que lhe disse que estaria com você até o final dos tempos. Ele está sim, aqui, hoje, ao seu lado e em qualquer situação. A verdade, sempre liberta.
O texto da epistola de hoje nos leva a pensar sobre o compromisso coma verdade do evangelho. Sabemos que Jesus é o caminho verdade e vida, nada precisamos provar a ninguém quanto a isso, nada  nos pode seduzir a comprometer essa preciosa palavra. Mas o apóstolo nos recomenda a usar de sabedoria quanto ao uso e aos costumes. Sabemos que comida alguma nos tornará puros ou impuros, foi Jesus mesmo quem disse que o que faz mal é o que sai da boca e não necessariamente o que entra. A verdade prevalece quando nossas vidas estão associadas a ela e essa verdade inclui a sabedoria. Paulo nos adverte a fazer uso dela, a saber ter uma postura que, mesmo sendo algo até irrelevante na sua percepção, pode ser algo que escandalize e leve alguém até mesmo a pecar ou a ter a sua fé enfraquecida.
Duas frases me chamam a atenção nesse texto e elas tem que ser vistas com cuidado por cada um de nós. Veja isso. “Se alguém cuida saber alguma coisa, ainda não sabe como convém saber.” Você percebe que essa frase é uma lição para todos aqueles que pensam que podem manipular a verdade com suas próprias ilações e ideias. Nunca permita que  a vaidade de uma pretensa ciência da verdade lhe leve a julgar nem tampouco a desprezar a fé de alguém.
Uma outra frase que também me chama atenção está aqui: “Entretanto, nem em todos há esse conhecimento” Paulo está dizendo isso após discorrer sobre a exclusividade de Jesus Cristo e do fato de haver um único Deus. A paciência desse gigante da fé diante de um embate que poderia comprometer a verdade de fato me chama a atenção e me eixa um exemplo que preciso seguir. Quantas vezes somos colocados diante de situações em que nossa fé é ameaçada e que nossa primeira atitude é avançar em direção a quem ameaça, nos faltando o discernimento de que “nem todos tem esse discernimento”  e se assim é, quem deve ter o discernimento sou eu e preservar a verdade sagrada para os momentos em que ela, sendo apresentada com sabedoria seja melhor apreciada e querendo Deus venha ser aceita.
Por isso, hoje, cuidando saber apenas o que devo, sigo na persuasão de estar sempre na direção da verdade.
 

Minha Oração

 

Senhor, minha oração hoje se resume a te pedir que me mantenhas na direção da verdade e nunca achar que o que sei, sei mais que qualquer pessoa. Ajuda-me nessa atitude de simplicidade e humildade.
Leia Mais

3a Feira 21o Dia de Escuta

Simples assim…

Marcos 6:1-13;1 Coríntios 7:32-40

A mensagem de Deus é tão simples
que com nossas mentes complicadas
temos dificuldade de assumi-la
            M.Andrade
O evangelho de hoje traz uma mensagem que precisa ser bem compreendida,  Jesus começa seu ministério na cidade de Nazaré onde viveu a maior parte de sua vida e onde seus familiares viveram. Mas ali, estranhamente as pessoas mesmo maravilhadas do que estavam vendo, passaram a ter certa “desconfiança” dele, afinal de contas ele era “de casa”. E escandalizavam-se dele… o texto ainda diz que Jesus teve dificuldades de ralizar milagres na sua própria cidade.
A atitude preconceituosa daquelas pessoas impediu a ação de Deus. Mas percebo que isso não foi algo exclusivo dos Nazarenos, ainda hoje muito do que se perde no mover de Deus se dá por conta dos obstáculos que são colocados a uma manifestação simples, de alguém simples, em um lugar simples. Mas para mim a pergunta é sempre vinculada ao fato de ser o evangelho algo simples ou não. As Boas Novas apresentadas por Jesus são de uma simplicidade incomum. Diferente dos sistemas religiosos criados, até mesmo dentro do próprio cristianismo a mensagem de Jesus foi muito simples sim. Senão vejamos. Quando Jesus passou  e viu Levi naquela  coletoria apenas disse siga-me! E ele deixando tudo o seguiu. Jesus não apresentou a ele um sistema de crenças, não fez exigências e nada solicitou senão, venha comigo. Muitos cristãos têm medo de falar sobre isso porque tem a prática de “plantar dificuldades para colher facilidades” , mas o fato é que na maioria de seus chamados Jesus nada exigiu senão um simples venha comigo.
A simplicidade de Jesus se revelou na simplicidade das pessoas que ele chamou, 12 pessoas simples e até pecadores desqualificados como esse publicano Levi, também chamado Mateus. Foram esses homens simples acompanhados de algumas mulheres simples que levaram essa simples mensagem Adiante. Foram eles que foram de dois em dois, foram eles que foram orientados pra bater o pó quando fossem rejeitados, talvez porque o próprio Jesus sabia que se com ele foram preconceituosos, talvez o fossem com seus discípulos e por isso provavelmente os preparou.
Não sei qual é a sua origem, se seu berço inclui uma ascendência considerada nobre ou não. Mas sei que para seguir a Jesus nada mais precisamos do que o desejo de estar com ele. Na sequência de seu ministério Jesus trouxe a atenção de todos e diferentes tipos de pessoas o têm seguido ao longo desses dois mil anos. De uma forma ou de outra você tem o privilégio de poder seguir aquele que, de maneira simples, descomplicou todos os sistemas religiosos dizendo apenas siga-me.
A carta aos coríntios hoje continua ministrando na vida das pessoas que estão casadas, em via de casamento ou em conflitos em suas uniões. Paulo dá sua opinião. São  conselhos simples para uma área mais complicada da vida de qualquer ser humano, a profunda inconstância de cada coração humano. A sugestão paulina parece de fato simples, mas sabemos que o que comanda nossos corações as vezes sai na frente de nossa razão, trazendo prejuízos às nossas vidas e relacionamentos. Um conselho que não podemos deixar de seguir é que Jesus, na tentativa de apresentar um evangelho descomplicado nos dá a direção a seguir, siga sempre a Palavra de Deus. O casamento é uma aventura magnífica que cada ser humano, pelo menos a grande maioria, deseja viver  no entanto, isso requer de nós atitudes de grandeza, sentimentos de humildade, postura de altruísmo.
Se você é casado(a), solteiro(a), está prestes a casar, ou em busca de um casamento, lembre-se sempre disso, seguir o que Jesus diz, com simplicidade de coração facilitará a sua caminhada nessa direção, ajustará conflitos que porventura existam e evitará que esses conflitos se tornem impeditivos para a continuidade das relações.

Minha Oração

Senhor, eu desejo seguir com simplicidade aquilo que Tu tens para minha vida. Me ajude a enxergar as coisas da maneira descomplicada que tu enxergas e que isso seja uma verdade em todas as áreas de minha vida.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Leia Mais

2a Feira 20o Dia de Escuta

Apenas Creia!

Marcos 5:21-43;1 Coríntios 7:25-31

 Crer é mais que acreditar, é entender que isso é a razão de minha existência, que sem isso eu não vivo, sem isso a vida não faz mais sentido!
M. C.
Jesus continua a sua peregrinação rumo a cruz, sim, é bom que tenhamos a convicção de que desde que Jesus assumiu sua missão, desde aquele primeiro milagre em Caná da Galiléia que pareceu ter antecipado o início de tudo. Jesus estava a caminho da cruz, a cruz era a sua missão, a cruz era seu destino se assim podemos chamar. Essa perspectiva nos ajuda a entender quando ele diz que temos que carregar a nossa cruz. Isso significa levar adiante a missão que cada um de nós tem.
O evangelho vai narrar esse episódio de excelente valor pedagógico para nossas vidas. Jairo, que era um chefe da sinagoga, uma função importante na religiosidade judaica se encontra diante de um grave problema. Esse homem é conhecido e ao que parece Jesus estava de volta às margens do mar da Galiléia nas imediações de Cafarnaum, sua cidade base naquela região. A sinagoga provavelmente era a que Jesus frequentava, ali morava a família de Pedro, ou seja, um ambiente de pessoas que se conheciam. Jairo está com sua filha prestes a morrer e procura a Jesus, nada mais natural, ele já sabia o que Jesus estava fazendo, conhecia-o mesmo que  de ouvir falar, de seu poder e do que ele já havia feito por ali.
O texto diz que imediatamente Jesus o segue e com ele uma multidão que o apertava, no caminho da casa de Jairo. Nessa caminhada vem uma mulher enferma e o texto dá os detalhes sobre sua vida, uma história de sofrimentos. No entanto, não há sofrimento que permaneça quando Jesus passa pela nossa vida, Jesus, exatamente passou ela vida dessa senhora e a sua atitude a salvou da opressão maligna de uma enfermidade crônica.  Quando tocou em Jesus foi curada imediatamente.
Na vida não é diferente, não há possibilidade de seguirmos a Jesus, tocar as suas vestes, estar com ele e nossas vidas não serem transformadas.  Todo mal não resiste ao poder do bem que emana de Jesus Cristo. Na sua vida Jesus deve ter passado várias vezes pelo seu caminho e cabe a você discernir esses momentos e saber tomar atitude certa, segui-lo.
Mas também perceba que aquele homem, Jairo, estava presente nesse episódio, afinal de contas estavam indo para a sua casa onde Jesus deveria fazer algo por sua filha. Nesse caminho a fé desse chefe da sinagoga foi fortalecida, sua esperança renovada. Pense agora no que se passou pela mente deste homem, ele está indo ver a minha filha  que está à beira da morte, se ele pode fazer isso com essa mulher, ele pode fazer qualquer coisa. E não foi diferente a notícia da morte da menina foi interrompida por Jesus, acalmando-o dizendo, apenas creia. APENAS CREIA!
Quantas vezes ouvimos esse apenas creia? Dentro daquilo que eu percebo no meu dia a dia, creio que constantemente escutamos esse consolo vindo do Senhor. Tudo na vida daquele homem colaborava para um final trágico. O quadro era de desespero, pessoas chorando, pranteadores contratados, mas havia algo especial, Jesus estava ao lado dele e disse APENAS CREIA!
Não será diferente conosco, o quadro pode parecer, ou de fato ser bastante difícil, mas se você estiver ao lado dele, saiba que a mesma voz que falou a Jairo estará falando a mim e a você a cada vez que o quadro de nossa existência nos parecer embaçado, nosso céu nos parecer nublado, ele, Jesus, irá tomar o controle da situação e isso vai aliviar a carga que as vezes carregamos sozinhos.  APENAS CREIA!
O apóstolo Paulo está em uma série de ministrações aos coríntios sobre aspectos fundamentais da vida e aqui ele fala sobre a permanência no Senhor seja qual for a sua situação deve permanecer firme. Casado, solteiro o conselho do apóstolo é que os tempos se aproximem e que devemos focar as nossas vidas naquilo que é essencial, sem desvios, pois tudo isso não passa de aparência, as coisas desse mundo são vinculadas a aparência e nunca à realidade.
Hoje tome a decisão de ouvir as palavras de Jesus quando ele disser APENAS CREIA! E o nosso foco seja sempre em segui-lo independente de nosso estado. Apenas creia que ele é poderoso para fazer muito mais do que podemos imaginar, apenas creia que as decisões de hoje devem estar focadas naquilo que seja seu propósito para sua vida.
Minha Oração

Senhor, eu quero estar ao teu lado todo tempo e que essa proximidade me leve a uma intimidade que me faça perceber quando tua voz disser APENAS CREIA!

 

 

 
Leia Mais