+55 81 30932991 contato@migueluchoa.com

bandeira-dinheirama-brasil-crise1-750x410

Recife, 25 de Setembro de 2018

Aos Cristãos da Nação Brasileira

Chegamos até vocês para cumprir com o nosso ministério pastoral e profético de anunciar o Reino de Deus e denunciar toda injustiça e tudo aquilo que se levante contra os valores de Reino. Para tal nesse período eleitoral e decisivo da nossa nação, recomendamos:

  1. Exercer a sua cidadania – Todo(a) brasileiro(a) devidamente habilitado(a) pode e deve exercer o direito de escolher um candidato. Mas como parte da liberdade democrática, ninguém é obrigado a votar em ninguém.
  2. Atentem para a importância da eleição- Os candidatos proporcionais (deputados e senadores), serão os responsáveis por criar e homologar as leis que nos afetarão diretamente. Em cada aspecto deve ser levado em consideração seus posicionamentos.
  3. Serenidade diante de todo Tumulto. A campanha eleitoral está acirrada. Como fato único na história do Brasil, um candidato foi vítima de atentado contra sua vida. A serenidade é necessária diante de tanta confusão estabelecida nessa disputa. Recomendamos pensar e não se deixar manipular pelos discursos e promessas que são as mesmas a cada quatro anos.
  4. Entender que obrigação não é proposta- Os candidatos a cada eleição afirmam com altivez que vão defender os recursos para EDUCACÃO-SAÚDE-COMBATE A VIOLENCIA- SEGURANÇA. Lembrem que essas são parte das obrigações constitucionais do Estado e não benefícios que eles trarão. Eles são OBRIGADOS a fazer isso. Seu candidato e seus apoiadores colocam esses temas como sendo uma grande proposta pessoal deles e não obrigação do Estado e de sua função de parlamentar.?
  5. Não se deixar manipular. Sugerimos fazer uma breve pesquisa sobre o candidato e seus apoiadores, quem eles são, onde estavam e com que palanque estavam associados na ultima eleição. Poderá haver surpresa, candidatos que acusavam os que hoje são seus aliados de toda sorte de males e hoje passeiam de mãos dadas pedindo seu apoio tem se tornado comum. Eles mudaram e sempre mudam, e você mudou com eles por isso?
  6. Priorizar princípios e valores. Os valores Judaicos-cristãos são a base da sociedade ocidental. Você como cristão deve lutar para preservá-los. É verdade que não estamos elegendo padres nem pastores e sim presidente e legisladores. Mas esses legisladores estão entrando nos nossos lares e contra o direito da família, têm tentado educar nossos filhos através da criação de leis e estratégias dentro do sistema educativo. Não sejamos ingênuos, o mal não se apresenta raivoso, mas sonso e cínico. O que pensam o seu Candidato ou seus apoiadores a esse respeito? Abaixo alguns desdobramentos dos Princípios e valores que defendemos como cristãos
    • Valores da família- A cristandade crê na família como a união de um homem e uma mulher com o propósito de ser feliz, de procriar e encher a terra da graça de Deus. Rejeitamos veementemente o que tem se chamado de “ideologia de gênero” abusando emocionalmente nossas crianças. A criação de uma criança sem a presença masculina e a feminina traz malefícios comprovados cientificamente há muito. O que defendem os seus candidatos e seus apoiadores a esse respeito?
    • Valores éticos – A honestidade e a integridade são valores inegociáveis. Os candidatos devem ter seus nomes limpos e nunca terem atentado contra o erário público, que drena as riquezas da nação. Recentemente vimos o nosso país ser alvo do maior escândalo de corrupção da história e talvez do mundo. Seu candidato ou seus apoiadores estão entre eles?
  • Valores da vida – Como cristãos defendemos a vida e somos contra a interrupção da gravidez em qualquer fase dela, desde a fecundação. Entendemos o aborto como o assassinato de um não nascido indefeso. O que seus candidatos e seus apoiadores pensam sobre isso?
  • Valores da justiça – Justiça na compreensão do evangelho é “fazer a coisa certa”, o cristianismo defende a igualdade de oportunidade para todos e o cuidado com os mais desprovidos e marginalizados da sociedade. Rejeitamos as sociofobias seja homo, hétero ou de qualquer tipo. Todos devem ser iguais perante a lei e todos devem ter deveres e direitos.
  1. Defender a livre iniciativa e o direito à propriedade – O Estado tem suas obrigações e a iniciativa privada deve ter sua liberdade. Defendemos a economia de mercado e entendemos que o Congresso Nacional e a Presidência da República tem o dever de promover uma economia equilibrada, fortalecer o acesso ao crédito, valorizar as riquezas nacionais, diminuir o tamanho do Estado para que haja geração de empregos que trará uma sociedade mais justa e preservar o direito à propriedade combatendo as invasões dessas mesmas.
  2. Entender que não há candidatos “ungidos” – A política é uma atividade nobre e deve ser exercida para o povo e em benefício dele. A Igreja não deve ser “cabo eleitoral”. A lei proíbe o uso da estrutura das religiões e da fé como plataforma de lançamento de candidatos. Estamos elegendo pessoas para fazer o bem da nação e não da minha religião. Qual a prática de seu candidato e de seus apoiadores a esse respeito?
  3. Denunciar toda forma de corrupção. Ela destrói as bases produtivas e a economia da nação, drenando seus recursos e evitando que eles sejam utilizados em prol das obrigações inerentes ao Estado. Seu candidato ou seus apoiadores estão ou estiveram envolvidos em corrupção?
  4. Defender o Estado Laico, mas não ateu- O Estado laico defende a liberdade religiosa e não prioriza nenhuma delas. Temos visto uma tentativa de se criar um Estado “Cristianofóbico”. Qual a postura de seu candidato e de seus apoiadores quanto a isso?
  1. Rejeitar a legalização do consumo de drogas- Entendemos que o que gera o tráfico de drogas são os consumidores. Muitos deles são vítimas outros são protagonistas e, conscientes ou não, se tornam os associados indiretos dos traficantes, sem consumidores não haverá tráfico. As drogas tem sido a causa de muitos dos maiores males que vive a sociedade mundial. Como Igreja temos lutado com nossas forças com ou sem apoio do Estado na criação de redes de apoio e casas de recuperação d  usuários de drogas. Entendemos que a educação e uma família equilibrada são o maior antidoto contra o uso de drogas. Essa tem sido a missão da Igreja. O que seu candidato e seus apoiadores  pensam sobre isso?
  1. Escolher candidatos- Existem candidatos e partidos que facilmente podem ser identificados dentro dessas recomendações. A escolha será sempre de cada um de nós, e as consequências da mesma forma, sempre serão sofridas por cada um de nós.

 “Ai daqueles que fazem leis injustas, que escrevem decretos opressores para privar os pobres dos seus direitos e da justiça” (Isaías 10, 1)

 Colégio Episcopal da Igreja Anglicana no Brasil

Revmo. Miguel Uchoa Bispo Primaz Diocese de Recife (PE)

Revmo. Evilásio Tenório Bispo Auxiliar Diocese de Recife (PE)

Revmo. Marcio Medeiros Meira Diocese de João Pessoa (PB)

Revmo. Marcio Simões Diocese de Vitória (PE)

Revmo. Bispo. Flavio Adair Bispo Missionário Recife (PE)

ABOUT THE AUTHOR
Miguel Uchôa

Miguel Uchôa Cavalcanti é bispo anglicano da Diocese do Recife (PE) e reitor da Paróquia Anglicana Espírito Santo (PAES), na cidade de Jaboatão dos Guararapes, região metropolitana do Recife, desde 1996, quando a fundou. Bacharel em Teologia com pós-graduação pelo Seminário Teológico Batista do Norte. Engenheiro de Pesca com especialização em Israel, China e Brasil. É casado com Valéria e pai de Gabriel e Matheus.