+55 81 30932991 contato@migueluchoa.com

Carta às Igrejas GAFCON 2018

 

GAFCON bishops group photo - 1

Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra”. At 1:8

Saudações da terra do nascimento, ministério, morte, ressurreição e ascensão de nosso glorioso Senhor Jesus Cristo. A terceira Conferência Global Anglicana do Futuro (GAFCON) foi realizada em Jerusalém em junho de 2018, uma década após a inauguração da GAFCON em 2008. O GAFCON 2018, um dos maiores encontros anglicanos globais, reuniu 1.950 representantes de 50 países, incluindo 316 bispos, 669 outro clero e 965 leigos. Uma unanimidade de espírito se refletiu em toda a Conferência quando nos encontramos com Deus na presença de amigos de longe. Celebramos a adoração alegre, participamos de orações em pequenos grupos e fomos inspirados por apresentações, redes e seminários.

Nos reunimos em torno do tema “Proclamar a Cristo fielmente às nações”. Cada dia começava com a oração comum e a exposição bíblica de Lucas 22-24, seguidas de sessões plenárias sobre o evangelho de Deus, a Igreja de Deus e o mundo de Deus.

PROCLAMANDO O EVANGELHO DE DEUS

Renovamos nosso compromisso de proclamar o evangelho do Deus trino em nossas igrejas e em todo o mundo. Nosso Presidente nos lembrou em seu discurso de abertura: “O evangelho de Deus é a mensagem que transforma a vida da salvação do pecado e de todas as suas consequências através da morte e ressurreição do Senhor Jesus Cristo. É tanto uma declaração quanto uma convocação: anunciar o que foi feito por nós em Cristo e nos chamar para o arrependimento, fé e submissão ao seu senhorio. ”Envolve a restauração e a reafirmação dos propósitos criativos originais de Deus. É dirigido a homens, mulheres e crianças e é a nossa única esperança à luz do julgamento final e da realidade do inferno.

Este é o evangelho de Deus, o evangelho concernente ao seu Filho (Romanos 1: 1–3). O centro da mensagem do evangelho é essa pessoa, Jesus Cristo, e tudo o que ele fez por meio de sua vida perfeita, a morte expiatória, a ressurreição triunfante e a ascensão gloriosa. Em nossas exposições diárias, seguimos o caminho de Jesus dos julgamentos de Pilatos e dos líderes judeus, até a sua morte por nós na cruz, a quebra dos laços da morte na manhã de Páscoa e a comissão aos discípulos para proclamar “arrependimento”. para o perdão dos pecados em seu nome a todas as nações ”(Lucas 24:47). A singularidade de Jesus Cristo está no coração do evangelho: “não há salvação em nenhum outro, porque nenhum outro nome debaixo do céu é dado à humanidade pelo qual devemos ser salvos” (Atos 4:12). O evangelho nos confronta no meio da nossa confusão e pecado, mas não nos deixa lá. Inclui uma convocação ao arrependimento e um chamado para crer no evangelho (Marcos 1:15), que resulta em uma vida cheia de graça. O Cristo ascenso deu seu Espírito para capacitar seus discípulos a levar este evangelho ao mundo.

Contudo, a proclamação fiel deste evangelho está sob ataque de fora e dentro, como tem sido dos tempos apostólicos (Atos 20: 28-30).

Os ataques externos incluem práticas supersticiosas de sacrifícios e libações que negam a suficiência do sacrifício de Cristo. Algumas religiões negam a pessoa única e a obra de Cristo na cruz, e outras são inatamente sincretistas. O secularismo procura excluir Deus de todo discurso público e desmantelar a herança cristã de muitas nações. Isso tem sido mais óbvio na redefinição do que significa ser humano, especialmente nas áreas de gênero, sexualidade e casamento. A desvalorização da pessoa humana através da defesa do aborto e da eutanásia é também um assalto à vida humana criada unicamente à imagem de Deus. Formas militantes de religião e secularismo são hostis à pregação de Cristo e perseguem seu povo.

Internamente, o “evangelho da prosperidade” e o revisionismo teológico buscam maneiras diferentes de reformular o evangelho de Deus para acomodar a cultura circundante, resultando em um sincretismo sedutor que nega a singularidade de Cristo, a gravidade do pecado, a necessidade de arrependimento e a autoridade final. da Bíblia.

Tragicamente, tem havido uma falha de liderança em nossas igrejas para lidar com essas ameaças ao evangelho de Deus. Nós nos arrependemos do nosso fracasso em levar a sério as palavras do apóstolo Paulo: “Vigiai a vós mesmos e a todo o rebanho de que o Espírito Santo vos constituiu superintendentes. Seja pastores da igreja de Deus, que ele comprou com o seu próprio sangue. Eu sei que depois que eu sair, lobos selvagens entrarão entre vocês e não pouparão o rebanho. Mesmo a partir do seu próprio número, os homens se levantarão e distorcerão a verdade a fim de atraírem os discípulos atrás deles ”(Atos 20: 28-30).

Dedicamo-nos novamente a proclamar fielmente às nações, trabalhando juntos para guardar o evangelho confiado a nós por nosso Senhor e seus apóstolos.

REFORMAR A IGREJA DE DEUS

O evangelho de Deus cria a igreja de Deus. Por meio do convite do evangelho, Deus chama todas as pessoas à comunhão com seu Filho, o Senhor Jesus Cristo. À medida que a palavra do evangelho é revelada no poder do Espírito Santo, eles respondem através do trabalho do Espírito Santo para se arrependerem, crerem e serem batizados, e assim serem unidos ao corpo de Cristo que é a sua igreja (Atos 2: 37- 44; 1 Coríntios 12: 12-13). Como membros do corpo de Cristo, são santificados nele, chamados a viver uma vida de santidade e ser sal e luz no mundo.

Um orador da Conferência nos lembrou: “Nos conselhos da igreja, não devemos imitar os caminhos do mundo, mas nos reunir para orar, louvar (ou seja, ser eucarístico), consultar, decidir e, se necessário, disciplinar. Esses encontros devem ser propriamente conciliares na natureza, decisivos para levar a igreja adiante em sua missão e vida comum. Deve haver a vontade de exercer disciplina amorosa, mas firme, para levar os pecadores ao arrependimento e à restauração ”. Da mesma forma, no nível da Comunhão, há momentos em que a liderança deve se unir para exercer sua responsabilidade de disciplinar uma província membro errante.

Por algum tempo, nossa Comunhão tem sido ameaçada por líderes que negam o senhorio de Cristo e a autoridade das Escrituras. No final do século XX, a sexualidade humana tornou-se a questão de apresentação.

A Conferência de Lambeth de 1998, por grande maioria (526 a 70), aprovou a Resolução I.10 sobre Sexualidade Humana, que afirmava o ensinamento de Jesus em Mateus 19 de que existem apenas duas expressões de sexualidade fiel: casamento duradouro entre homem e mulher ou abstinência. A resolução justamente apelou para o cuidado pastoral para pessoas atraídas pelo mesmo sexo. Ao mesmo tempo, descreveu a prática homossexual como “incompatível com a Escritura” e rejeitou tanto a autorização de rituais do mesmo sexo pela Igreja quanto a ordenação de pessoas do mesmo sexo.

A Resolução I.10 de Lambeth refletia a crescente influência do Sul Global na Comunhão. O terreno para a Resolução foi preparado pela Declaração de Kuala Lumpur, de 1997, da Rede Sul Anglicana Global. Nossa colaboração com a Rede Global do Sul está em andamento e seus líderes participaram ativamente desta Conferência.

A subsequente rejeição de Lambeth I.10 em palavras e ações pela Igreja Episcopal dos EUA e mais tarde por algumas outras províncias anglicanas levou a uma “ruptura [no] tecido da Comunhão em seu nível mais profundo”, seguida por dez anos de reuniões fúteis. em que os quatro Instrumentos de Comunhão não conseguiram exercer a disciplina necessária. A Reunião dos Primazes repetidamente pediu a estas províncias que se arrependessem e voltassem à fé. No entanto, seus esforços foram prejudicados por outros instrumentos de comunhão, culminando com o fracasso do Escritório do Arcebispo de Cantuária de realizar o consenso claro da Reunião dos Primazes em Dar es Salaam, em 2007.

Na Declaração e Declaração de Jerusalém, a Conferência Futura Global Anglicana de 2008 aceitou o desafio de restaurar a autoridade bíblica (e o ensino sobre a sexualidade humana em particular), afirmando a primazia da Bíblia como a Palavra de Deus escrita e voltando às outras fontes de Identidade anglicana – os credos e conselhos da antiga igreja, os 39 artigos, o Livro de Oração Comum de 1662 e o Ordinal. A Conferência também constituiu um Conselho de Primazes e autorizou-a a reconhecer as igrejas anglicanas em áreas onde os anglicanos ortodoxos haviam sido privados de sua propriedade da igreja e deposto de ordens sagradas.

 Durante os últimos vinte anos, os Instrumentos de Comunhão não apenas falharam em defender a disciplina divina, mas seus representantes se recusaram a reconhecer nossas preocupações e escolheram, em vez disso, rebaixar a GAFCON como um grupo de pressão de uma única questão e acusá-la de promover cismas. Na verdade, os cismáticos são aqueles que se afastaram do ensino da Bíblia e da doutrina histórica da Igreja. Slogans como “andar juntos” e “boa discordância” são perigosamente enganosos na tentativa de persuadir as pessoas a aceitar o falso ensinamento na Comunhão.

Lamentamos a situação de nossa Comunhão global, uma vez que ela foi impedida de cumprir sua tarefa designada por Deus de alcançar o mundo para Cristo. Nós nos arrependemos de nossos próprios fracassos em permanecer firmes na fé (1 Coríntios 16:13). Mas não perdemos a esperança para o futuro e observamos que há um forte apoio para a reforma de nossa Comunhão. Antes do GAFCON 2018, os delegados afirmaram esmagadoramente as seguintes proposições:

  • A Resolução de Lambeth I.10 reflete o ensino imutável da Bíblia;
  • o movimento GAFCON deve continuar fiel à Declaração de Jerusalém;
  • o Conselho dos Primazes deve continuar a reconhecer as jurisdições anglicanas confessantes.

Nos últimos vinte anos, vimos a mão de Deus nos conduzindo a um reordenamento da Comunhão Anglicana. GAFCON afirmou desde o início: “Nós não estamos deixando a Comunhão Anglicana; somos a maioria da Comunhão Anglicana procurando permanecer fiéis à nossa herança anglicana. ”Como declarou o Arcebispo Nicholas Okoh no Conselho Sinodal inaugural: “Estamos apenas fazendo o que a liderança da Comunhão deveria ter feito para defender sua própria resolução em 1998 ”.

Damos graças pela coragem piedosa de nossos Primazes GAFCON em disputar a fé de uma vez por todas entregue aos santos. Aplaudimos a decisão deles de autenticar e reconhecer as províncias da Igreja Anglicana na América do Norte e da Igreja Anglicana no Brasil, para reconhecer a Missão Anglicana na Inglaterra e para consagrar um Bispo Missionário para a Europa. Isso se tornou necessário por causa do afastamento da fé pela Igreja Episcopal, pela Igreja Anglicana do Canadá, pela Igreja Episcopal do Brasil e pela Igreja Episcopal Escocesa. Na GAFCON 2018, ouvimos muitos testemunhos de fiéis anglicanos que foram perseguidos por aqueles que ocupam cargos em suas respectivas províncias, simplesmente porque não se renderiam nem seriam comprometidos pelo falso evangelho que esses líderes professam e promovem.

     Como o movimento GAFCON amadurece, também viu a necessidade de uma estrutura mais conciliar de governança. Apoiamos a formação das Filiais GAFCON, quando necessário, e de um Painel de Assessores, compreendendo bispos, clérigos e representantes leigos de cada Província e Filial GAFCON, para fornecer conselhos e conselhos ao Conselho dos Primazes. Juntamente com os Primazes, o Painel de Assessores forma um Conselho Sínodo para trazer recomendações para a Assembléia GAFCON. O Conselho Sinódico reuniu-se pela primeira vez nesta Conferência.

À luz das recomendações do Conselho Sinódico, nós respeitosamente exortamos o Arcebispo de Canterbury

  • convidar como membros de pleno direito para os bispos Lambeth 2020 da Província da Igreja Anglicana na América do Norte e da Província da Igreja Anglicana no Brasil e
  • não convidar bispos daquelas Províncias que tenham endossado por palavras ou atos de práticas sexuais que estão em contradição com o ensino das Escrituras e a Resolução I.10 da Conferência de Lambeth de 1998, a menos que se arrependam de suas ações e invertem suas decisões.

Caso isso não ocorra, pedimos aos membros da GAFCON que recusem o convite para participar do Lambeth 2020 e de todas as outras reuniões dos Instrumentos de Comunhão.

ALCANÇANDO PARA O MUNDO DE DEUS

Nosso tema da conferência tem sido “Proclamar a Cristo fielmente às nações”. Recebemos o evangelho por meio do testemunho fiel das gerações anteriores. Ainda há bilhões de pessoas que estão sem Cristo e sem esperança. Jesus ensinou a seus discípulos: “este evangelho do reino será proclamado em todo o mundo como um testemunho a todas as nações” (Mateus 24:14).

Nós nos arrependemos pelos tempos e épocas em que somente pregamos para nós mesmos e não abraçamos a difícil tarefa de ir além dos nossos próprios grupos culturais em obediência ao chamado de Deus para ser uma luz para as nações (cf. Atos 13:47). Com fé e obediência, nos alegremente reafirmamos com a fiel proclamação do evangelho.

A fim de expandir nossa capacidade de proclamar fielmente as nações de Cristo em palavras e ações, lançamos nove redes estratégicas.

Educação Teológica : Promover um treinamento teológico eficaz em toda a Comunhão Anglicana

Plantação de Igrejas : Expandir o plantio de igrejas como estratégia global de evangelização

Parcerias Missão Global : Promover parcerias estratégicas de missão transcultural em um mundo globalizado

Pastoral Juvenil e Infantil : Ser um catalisador para a missão de jovens e crianças de todas as nações, para que se tornem fiéis discípulos de Jesus Cristo.

União das Mães : Expandir o potencial deste ministério global para promover padrões bíblicos de casamento e vida familiar

 Desenvolvimento Sustentável : Estabelecer parcerias globais que trabalham com a igreja local para trazer desenvolvimento sustentável e transformador

 Instituto de Treinamento dos Bispos : Para servir à formação de uma liderança episcopal fiel e eficaz em toda a Comunhão

 Força-Tarefa dos Advogados : Para abordar questões de liberdade religiosa e assuntos de interesse para advogados e Chanceleres Anglicanos e para promover os objetivos da Declaração de Jerusalém

 Rede de Intercessores : Para inspirar e desenvolver redes de oração intercessoras regionais e nacionais globalmente conectadas

No mundo para o qual iremos proclamar o evangelho, encontraremos muito que necessitará que andemos em veredas de retidão e misericórdia (Oséias 2:19; Miqueias 6: 8). Comprometemo-nos a encorajar uns aos outros a dar força aos perseguidos, voz aos sem voz, defesa dos oprimidos, proteção dos vulneráveis, especialmente mulheres e crianças, generosidade aos pobres e continuação da tarefa de fornecer excelente educação e saúde . Conforme apropriado, incentivamos a formação de outras redes para ajudar a resolver esses problemas.

NOSSO FUTURO ANGLICANO GLOBAL

Para proclamar o evangelho, precisamos primeiro defender o evangelho contra ameaças externas e internas. Testificamos as extraordinárias bênçãos desta Conferência, que nos leva a chamar ainda mais a Deus, para que a Comunhão Anglicana se torne um poderoso instrumento nas mãos de Deus para a salvação do mundo. Convidamos todos os anglicanos fiéis a se unirem a nós neste grande empreendimento de proclamar fielmente às nações.

Agora, àquele que é capaz de fazer imensamente mais do que tudo o que pedimos ou imaginamos, de
acordo com o seu poder que está em ação dentro de nós, para ele seja glória na igreja
e em Cristo Jesus por todas as gerações, para todo o sempre! Um homem.
Efésios 3: 20-21

GLOSSÁRIO

Conciliar – Trabalhando como um conselho da igreja

Filiais GAFCON – Uma Filial pode ser estabelecida por solicitação ao Conselho GAFCON Primates em uma província cujo Primaz não é um membro do Conselho GAFCON Primates.

Primazes GAFCON – Primazes que endossaram a Declaração de Jerusalém e foram admitidos no Conselho de Primazes GAFCON.

Províncias GAFCON – Províncias cuja Casa dos Bispos ou Sínodo Provincial endossou a Declaração de Jerusalém e cujo Primaz é um membro do Conselho de Primazes GAFCON.

Instrumentos de Comunhão – Existem quatro instrumentos: O Escritório do Arcebispo de Canterbury, a Conferência de Lambeth, a Reunião dos Primazes e o Conselho Consultivo Anglicano. http://www.anglicancommunion.org/structures/instruments-of-communion.aspx

Declaração e Declaração de Jerusalém – A Declaração acordada pela Assembleia GAFCON inaugural em 2008.   https://www.GAFCON.org/resources/the-complete-jerusalem-statement 

Declaração de Kuala Lumpur – aprovada pela Rede Sul Anglicana Global em 1997. http: //www.globalsouthanglican.org/index.php/blog/comments/the_kuala_lum …

Resolução de Lambeth I.10 – aprovada pela Conferência de Lambeth em 1998. http: //www.anglicancommunion.org/resources/document-library/lambeth-conf …

Painel de Conselheiros – consiste de um bispo, um clero e um representante leigo de cada Província GAFCON e Filial GAFCON, que dão conselhos e conselhos aos Primazes GAFCON.

Encontro de Primazes – Uma reunião de Primazes convocada pelo Arcebispo de Canterbury

Conselho Sinódico – Consiste no Painel de Assessores e no Conselho GAFCON Primates reunidos para fazer recomendações à Assembléia GAFCON

Leia Mais
20180602_163849_0000

COMUNICADO OFICIAL

Leia Mais
texto blog (2)

Enraizados em um Glorioso passado, Vivendo a Realidade do presente e Olhando com Esperança para o Futuro

Queremos ser os valentes que vêem no futuro uma oportunidade, e cremos que estamos, sim, vivendo um novo tempo com o evangelho de sempre.

Leia Mais
carnaval

Porque eu pulo o carnaval

Certas decisões definem que tipo de Cristão você quer ser… aquele que pula carnaval, ou aquele que pula o carnaval. Quem é você?

Leia Mais
Traveling in London

Ele veio, Ele vive, Ele voltará

 

Chegamos ao Advento. É hora de celebrarmos mais uma vez a chegada do Salvador

Leia Mais

A Igreja Anglicana e a Ortodoxia

 

WhatsApp Image 2017-11-15 at 09.28.33

Sou Bispo da Igreja Anglicana no Brasil – Diocese de Recife e Reitor da PAES, Paróquia Anglicana Espírito Santo em Piedade Jaboatão dos Guararapes PE. Quero expressar nossa posição para que sempre haja clareza nos fatos. A igreja Anglicana não tem uma palavra única, não tem um Papa infalível e nem a palavra de seus lideres representam o pensamento da igreja como um todo. O movimento liberal existe em algumas províncias, mas o GAFCON (ABAIXO EXPLICADO) Representa mais de 80% da membresia da Comunhão Anglicana, existindo outras províncias que não são ainda parte desse movimento, mas que seguem a ortodoxia bíblica. Em recente declaração o Arc. Justin Welby, mais uma vez negou sua origem evangélica ortodoxa e cedeu ao espírito do século ao invés de seguir o Espírito de Deus. Reiteramos a nossa posição contra homofobia enquanto reafirmamos a sã doutrina apostólica cristã. Welby representa uma parcela da igreja NA Inglaterra e uma outra mínima da Comunhão Anglicana. A ideologia de gênero é uma falácia, anti cientifica, e anti cristã. Veio para desconstruir a família e a sociedade. Como Igreja Anglicana no Brasil – Diocese de Recife, afirmamos que a posição do Arcebispo Welby não nos representa.
Abaixo um esclarecimento sobre o GAFCON editado de uma postagem de nosso clérigo o Rev EricRodrigues. Pastor da Igreja Anglicana Ancora em Vitória do Espírito Santo

Há cerca de 85 milhões de cristãos na Comunhão Anglicana mundial espalhados por 38 igrejas regionais, conhecidas como Províncias. GAFCON é um movimento global dentro da Comunhão que representa a maioria de todos os anglicanos.
Cada província anglicana é liderada por um Primaz (arcebispo), oito dos quais são partidários ativos do GAFCON. Essas províncias são, portanto, consideradas como províncias do GAFCON. Existe uma nona Província GAFCON, a Igreja Anglicana na América do Norte, que está emergindo dentro da Comunhão Anglicana como igreja ortodoxa nos Estados Unidos, Canadá e México. Isso ocorre porque as províncias históricas nesse continente, a Igreja Episcopal (TEC) e a Igreja Anglicana do Canadá (ACoC) abandonaram a ortodoxia anglicana baseada na Bíblia.
Existe ainda a Igreja Anglicana no Brasil- Diocese de Recife, que é uma Província em formação e é membro pleno do GAFCON. Ela existe pela razão da província histórica do Brasil, IEAB, também ter abandonado a ortodoxia e a doutrina histórica cristã, além de descumprir as resoluções da Comunhão Anglicana quanto a sexualidade humana decisão da maioria esmagadora de todos os bispos anglicanos no mundo Na Conferencia de Lambeth de 1998.
Res. 1.10 Esta Conferência:
a. Recomenda à Igreja o relatório de subseção sobre a sexualidade humana;
b. Tendo em vista o ensino da Escritura, mantém a fidelidade no casamento entre um homem e uma mulher em união ao longo da vida, e acredita que a abstinência é ideal para aqueles que não são chamados para o casamento;
c. Reconhece que há entre nós pessoas que têm uma orientação homossexual. Muitos deles são membros da Igreja e estão buscando o cuidado pastoral, o sentido moral da Igreja, o poder transformador de Deus para as suas vidas e a ordenação dos relacionamentos. Comprometemo-nos a ouvir a experiência de pessoas homossexuais e queremos assegurar-lhes que são amadas por Deus e que todos os batizados, acreditando e as pessoas fiéis, independentemente da orientação sexual, são membros plenos do Corpo de Cristo;
d. Enquanto rejeitamos a prática homossexual como incompatível com a Escritura, conclamamos a todo o nosso povo a ministrar pastoral e sensívelmente a todos, independentemente de sua orientação sexual, e condenamos o medo irracional de homossexuais, a violência dentro do casamento, e qualquer banalização e comercialização do sexo;
O movimento GAFCON é uma família global de anglicanos autênticos que estão juntos para reter e restaurar a Bíblia ao coração da Comunhão Anglicana. Nossa missão é proteger o evangelho imutável e transformador de Jesus Cristo e proclamá-lo ao mundo. Estamos fundados na Bíblia, unidos pela Declaração e Declaração de Jerusalém de 2008 e liderados por um Conselho de Primazes , que representa a maioria dos anglicanos do mundo.
GAFCON trabalha para proteger e proclamar o Evangelho imutável e transformador através de pregações e ensinamentos bíblicos que libertam nossas igrejas para fazer discípulos por um testemunho claro e certo de Jesus Cristo em todo o mundo.
A jornada da GAFCON começou em 2008, quando o compromisso moral, o erro doutrinal eo colapso do testemunho bíblico em partes da comunhão anglicana chegaram a um nível tal que os líderes da maioria dos anglicanos do mundo sentiram que era necessário tomar uma posição unida pela verdade . Uma multidão de mais de mil testemunhas, incluindo primatas, arcebispos, bispos, clérigos e líderes leigos reunidos em Jerusalém para a Conferência Anglicana do Futuro Global (GAFCON).
A segunda conferência, GAFCON 2013, foi realizada em Nairobi, no Quênia em 2013, na qual mais de 1.300 delegados de 38 nações e 27 províncias da comunhão anglicana estavam presentes. A reunião deu aos Primatas um mandato, através do Comunicado e Compromisso de Nairobi, para levar adiante o trabalho do movimento GAFCON.
Em junho de 2018 a terceira Conferencia GAFCON acontecera em Jerusalém e receberá cerca de 3.000 líderes anglicanos de todo mundo, entre bispos, pastores(as) e leigos.
Buscamos a oração e o apoio de anglicanos em todo o mundo que desejam um testemunho claro e certo de Jesus Cristo como Senhor.

Revmo. Miguel Uchoa

Leia Mais
O justo viverá pela fé (3)

A Reforma Protestante e a Igreja Evangélica brasileira

Leia Mais

Incoerência, manipulação, e cauterização

transsexual

Incoerência, manipulação, e cauterização,

A ditadura da Informação ou da Má informação.

 

Antes de qualquer coisa, por favor, leia esses dois artigos

1/07/2013 12h54 – Atualizado em 31/07/2013 18h20

Portaria define regras para mudança de sexo pelo SUS

Idade mínima para fazer cirurgia foi reduzida de 21 para 18 anos.
Terapia hormonal poderá ser feita a partir dos 16 anos, mediante análise.

O Ministério da Saúde publicou, nesta quarta-feira (31), uma portaria com novas regras para a realização de cirurgia de troca de sexo e outros tratamentos destinados a travestis e transexuais pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A idade mínima para a realização da cirurgia de mudança de sexo foi reduzida de 21 para 18 anos, com a nova portaria. Para fazê-la com essa idade, é exigida indicação específica e acompanhamento prévio de dois anos pela equipe de especialistas que acompanha o paciente, composta de profissionais como psicólogos, médicos e outros. Com a mudança, a idade mínima para fazer a terapia hormonal para a mudança de sexo, necessária antes da operação, foi fixada em 16 anos. Para iniciar o tratamento com essa idade, no entanto, a portaria prevê a necessidade de consentimento dos pais ou do responsável legal e consenso da equipe multiprofissional que acompanha o paciente. As determinações fazem parte da Portaria Nº 859 do Ministério da Saúde, publicada no Diário Oficial da União.

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2013/07/cirurgia-pra-troca-de-sexo-pode-ser-feita-pelo-sus-partir-de-18-anos.html

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2013/07/cirurgia-pra-troca-de-sexo-pode-ser-feita-pelo-sus-partir-de-18-anos.html

24/09/2017 22h12 – Atualizado em 24/09/2017 22h12

Decisão de juiz que autoriza ‘cura gay’ causa mobilização e choque no Brasil
Para a ciência, terapias que prometem mudar a orientação sexual dos pacientes têm nome: charlatanismo. Não há como tratar homossexualidade.

Para a ciência, terapias que prometem mudar a orientação sexual dos pacientes, chamadas de “cura gay”, têm um nome: charlatanismo. Não há como se tratar a homossexualidade simplesmente porque ela não é uma doença nem um transtorno. Mas uma liminar de um juiz do Distrito Federal provocou espanto e foi muito criticada nesta semana. A decisão autoriza os psicólogos a oferecerem tratamentos de “reversão sexual”. Há quase 30 anos a Organização Mundial de Saúde reconheceu que homossexualidade não é doença. No Brasil, desde 1999, o Conselho Federal de Psicologia diz que psicólogos não podem tratar a cura da homossexualidade. Porém uma liminar do juiz federal Waldemar Claudio de Carvalho determinou que o Conselho Federal não pode impedir psicólogos de promoverem estudos ou atendimento profissional sobre a reorientação sexual. A decisão causou choque e mobilização também nas redes sociais. Veja na reportagem do Fantástico.

http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2017/09/decisao-de-juiz-que-autoriza-cura-gay-causa-mobilizacao-e-choque-no-brasil.htmltópicos:

______________________________________________________________________

Após a cuidadosa leitura desses dois artigos, note bem o detalhe, eles têm a mesma fonte jornalística, vem da mesma mesa diretora e provavelmente tem a mesma autorização para serem publicados. Muito bem agora vamos refletir um pouco.

Por que, um adolescente de 16 anos pode ter orientação psicológica e pode receber acompanhamento de uma equipe multidisciplinar, pago pelo estado, quando deseja reverter sua sexualidade e ser “Curado” de sua heterosexualidade. “Para iniciar o tratamento com essa idade, no entanto, a portaria prevê a necessidade de consentimento dos pais ou do responsável legal e consenso da equipe multiprofissional que acompanha o Paciente”. A  matéria a nitidamente a favor da abordagem ao hétero insatisfeito, chama essa pessoa que “optou” por uma reversão sexual de “Paciente”, adjetivo esse, negado aos psicólogos que desejam ter o direito de acompanhar terapeuticamente homossexuais que, insatisfeitos com seu estado, pede sua ajuda profissional que pela lei deverá ser dada em total sigilo de acordo com o desejo do “Paciente”.

A parcialidade está evidente. Assisti uma matéria em um telejornal onde um psicólogo foi perguntado : “Como deve agir um profissional (psicólogo) que recebe uma pessoa em conflito com sua identidade de gênero?” Ao que o mesmo respondeu: “ ele deve tentar convencer essa pessoa a aceitar esse estado mostrando que isso é normal. “

Ao passo que um adolescente procura um profissional de saúde e compartilha que está insatisfeito com a sua identidade de gênero. Ele é imediatamente encaminhado a um médico, que vai ajuda-lo a tomar a decisão de fazer uma reversão sexual, em um processo de mutilação onde a genitália é modificada cirúrgica e definitivamente. Isso aos 18 anos e tomando hormônio desde os 16. Resumindo alguém pode solicitar do Estado que o cure de sua heterosexualidade, mas se alguém estiver incomodado com uma tendência homossexual e procurar um psicólogo, este profissional, mesmo em sigilo absoluto, se aceitar acompanhar essa pessoa e ajuda-lo na sua não aceitação homossexual pode ser processado e até vir a perder sua licença profissional.

Agora de uma olhada na integra da liminar e procure uma vez apenas a palavra cura ou a informação que leve honestamente você a esse entendimento. A liberdade de ajudar pessoas em busca de re-orientação sexual é proibido, mas acompanhar um jovem de 16 anos  e leva-lo a mutilação para se reorientar sexualmente, mais uma vez é aceito e as despesas são pagas pelo Estado.

https://d2f17dr7ourrh3.cloudfront.net/wp-content/uploads/2017/09/ATA-DE-AUDI%C3%8ANCIA.pdf

As questões dos dilemas da sexualidade são tão antigas quanto o ser humano e até aqui, a ciência não tem uma resposta clara para isso. O documentário “ O paradoxo da igualdade” desenvolvido na Noruega, uma das nações mais abertas e liberais do globo, dirigido por um comediante liberal, aborda o tema da “transexualidade” mostrando a posição da ciência afirmando que não há base cientifica para afirmar isso e ao mesmo tempo mostrando os sociólogos liberais dizendo claramente que o que a ciência diz não importa. No todo, é uma imensa contradição e tenta-se tratar o assunto de maneira superficial e apenas na perspectiva do politicamente correto. Sou um Bispo Anglicano, evangélico, e teologicamente de tendência conservadora. De acordo com minha crença, tudo isso é fruto do que a Bíblia chama de pecado. E aqui é necessário desmistificar o conceito de pecado e tentar entender numa perspectiva bíblica, livre de preconceitos.

Significado de Pecado dicionário da língua portuguesa

[Religião] Desrespeito a algum preceito religioso; transgressão da lei de Deus ou dos mandamentos da Igreja.[Por Extensão] Violação de alguma norma e/ou dever; erro: aquilo foi um pecado musical. Atitude que demonstra maldade; perversidade: é um pecado deixá-lo sozinho. Aquilo que deve ser sentido; lastimado: é um pecado deixar comida no prato! Condição de quem cometeu um pecado (religioso): o modo de vida daquele homem está rodeado pelo pecado.

Conceito no Novo Testamento

hamartano: não acertar o alvo, atingir alvo errado;

hamartia: transgressão, pecado. Normalmente visto como atos específicos;

Pecado, como a palavra no idioma original diz, é errar o alvo e, biblicamente, é errar o alvo de realizar a vontade de Deus. Se Deus criou homem e mulher, disse que crescessem fossem fecundos e se multiplicassem, esse é o alvo de Deus e errar esse alvo é o que se constitui em um pecado.  Se em toda revelação escriturística que minha crença credita como sendo a Palavra de Deus, não há nada que vá além do relacionamento entre um homem e uma mulher, e que casamento é quando duas dessas pessoas se unem dentro da benção de Deus.

Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Deus os abençoou, e lhes disse: “Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra! Gn 1:27-28a

À Deus toda Glória

Miguel Uchoa

Leia Mais
politicamente-correto

Não pode ser “vale tudo em nome da arte”

Conceitos e pré-conceitos em uma sociedade confusa…

Leia Mais

Carta Pastoral do Presidente do GAFCON/FCA

fca-logogafcon_logo_enlarged_0

Para: Os  fiéis do movimento GAFCON e amigos

Do: Arcebispo Nicholas Okoh, Metropolita e Primado de Toda a Nigéria e Presidente, do Conselho de Primazes do GAFCON

Meu querido povo de Deus,

Você, que traz boas novas a Sião, suba num alto monte. Você, que traz boas novas a Jerusalém, erga a sua voz com fortes gritos, erga-a, não tenha medo; diga às cidades de Judá: “Aqui está o seu Deus! ”  Is 40:9

Na semana passada eu estava em Chicago onde com  alegria e privilégio pude fazer parte da Assembleia Geral da Igreja Anglicana da América do Norte. Este grande encontro de mais de 1.400 bispos, clérigos e leigos foi um evento verdadeiramente histórico. Por iniciativa do GAFCON, em menos de dez anos, surgiu uma nova Província Anglicana forte, unida e espiritualmente vigorosa. Agora, por sua vez, tornou-se a plataforma de lançamento para um novo trabalho com a sagração do bispo Andy Lines como bispo missionário para a Europa.

Juntaram-se muitas pessoas de todo o mundo, incluindo onze primazes anglicanos. Então, no meu sermão na sagração de Andy Lines, eu consegui dizer: “Lembre-se que você não está sozinho. Você não se enviou. Todas essas pessoas aqui vieram dizer: “Amém” para a missão que lhe foi confiada. “Tivemos uma sensação maravilhosa do que a Comunhão Anglicana pode se tornar, uma parceria verdadeiramente global no evangelho que é capaz de” levantar Sua voz “sem confusão e sem fazer concessões.

Chicago foi, portanto, um anteprojeto do que podemos esperar em Jerusalém quando reuniremos em junho de 2018 no décimo aniversário da fundação desse grande movimento e a publicação da declaração de Jerusalém. Nosso tema é “Proclamar Cristo Fielmente às Nações” e os convites estarão sendo enviados este mês. Esperamos com grande ânsia para outro encontro maravilhoso enquanto nos reunimos na verdadeira comunhão sob a Palavra de Deus e no poder do Espírito de Deus.

Como uma família global, não queremos que ninguém seja excluído por falta de recursos. Buscaremos financiar algumas bolsas para aqueles que estão em necessidade real e exorto aqueles que são abençoados materialmente, seja como províncias, dioceses, paróquias ou indivíduos, para serem generosos para que nossa comunhão  não seja prejudicada.

GAFCON começou em 2008 como o meu antecessor, o arcebispo Peter Akinola, descrito como uma “missão de resgate” para a Comunhão Anglicana. Esse resgate não se limitou à América do Norte. Ainda há muito a fazer porque a história está se repetindo em outras partes do mundo, como demonstrou a recente capitulação da Igreja Episcopal Escocesa para as ideias seculares sobre o casamento.

O ensinamento falso é inquieto e implacável, e a própria Igreja da Inglaterra está em grave perigo espiritual. É muito a lamentar que tenha havido muito mais preocupação com a alegada “fronteira” do que sobre o desprezo da Palavra de Deus que fez necessário um bispo missionário. De fato, o Bispo de Edimburgo, que apoiou fortemente a adoção da Igreja Episcopal Escocesa do “casamento” do mesmo sexo, foi convidado como convidado de honra para a reunião geral do Sínodo Geral da Igreja de Inglaterra em julho.

Embora a posição jurídica da Igreja da Inglaterra sobre o casamento não tenha mudado, sua compreensão da moral sexual tem. As relações do mesmo sexo, que foram descritas pela Resolução Lambeth I.10 de 1998 como “incompatíveis com a Escritura”, agora recebem aprovação ao mais alto nível. Por exemplo, Vicky Beeching, cantora, compositora e ativista que defende o casamento homossexual foi homenageada com o prêmio Arcebispo Thomas Cranmer, em uma cerimônia no palácio de Lambeth.

A necessidade do GAFCON  salvaguardar a integridade e a clareza da missão anglicana global é tão urgente quanto já foi. Nosso chamado não deve ser conformado, mas ser transformado. Um mundo de observação precisa saber que os anglicanos são definidos, antes de tudo, pela fidelidade à Palavra de Deus. Pela graça de Deus, demonstraremos que a determinação como nos reunimos em Jerusalém para ser anunciador das boas novas de Jesus, o Filho de Deus e nosso Salvador.

Revmo.  Nicholas D. Okoh

Arcebispo, Metropolitano e Primaz de Toda a Nigéria e Presidente, do GAFCON

 

Leia Mais

Anglicanismo e Contemporaneidade

Anglicanismo e Contemporaneidade
Adoração, Liturgia, Missão

E ninguém põe vinho novo em vasilhas de couro velhas; se o fizer, o vinho rebentará as vasilhas, e tanto o vinho quanto as vasilhas se estragarão. Pelo contrário, põe-se vinho novo em vasilhas de couro novas”. Mc 2:22

O que há de comum em todas essas imagens abaixo? Observe bem, dê um clique nela…

Imagem1

Creio que você deve ter observado nos mínimos detalhes, mas, se não fez, volte, olhe foto por foto e tente imaginar o que essas imagens representam. Volte lá…. Voltou? Muito bem, se você não conseguiu ter uma ideia do que se trata, deixe-me ajudar. Essas são imagens de diferentes celebrações, em diferentes igrejas anglicanas, por diversos países e regiões do globo, inclusive na Inglaterra.

Você deve ter percebido a diversidade dessas imagens, não é? Pois bem, isso se chama ethos anglicano, e significa que não há uma só maneira de ser anglicano, mas várias, com muitas outras mais para ainda serem criadas. A riqueza desse ramo histórico do cristianismo está em sua diversidade.

A ignorância histórica e contemporânea tem levado muitos à tentação de taxar pela aparência e pela forma a essência de tantas coisas. Parece clichê, mas será que a essa altura da história da humanidade, com o avanço das ciências sociais e de tantas outras ciências humanas, ainda estamos tentando taxar o ser humano e enquadrá-lo em uma única maneira de ser? Será que ainda estamos tentando colocar rótulos naquilo que não admite rótulo?

Tenho tido o privilégio de viajar por diferentes continentes já faz algum tempo. Devido à minha posição como pastor e, posteriormente, como bispo, tenho conhecido e me encantado cada vez mais com o mundo anglicano e com a sua diversidade. Desde a África e a  Europa, passando pelas Américas e pelo continente asiático, essa igreja tem se expressado de tantas formas e com tanta diversidade quanto é possível ao ser humano e suas ilimitadas expressões. Mas ainda existem aqueles que querem uniformizar a maneira de ser cristão e, dentro de nosso meio, também a maneira de ser anglicano.

A Igreja Anglicana no Brasil já passou dessa fase e essa discussão agora faz parte do passado. No entanto, os resquícios dessa atitude retrógada por vezes reaparece aqui e ali; curiosamente, mesmo entre aqueles que não têm origem em nossa igreja, e que assim, por serem oriundos de outros ramos do protestantismo, acabam seguindo em uma direção polarizada. Isso pode ser uma reação até natural, mas é algo que, certamente, a maturidade, o senso de missão e um melhor conhecimento evitaria.

Tenho refletido e estudando este texto do capítulo 22 do evangelho de Marcos com certa frequência e há tempos cheguei à conclusão que o odre velho, como tantos dizem, não simboliza apenas as estruturas, as formas, as liturgias etc. Longe disso, o odre velho está bem presente na mente dessas pessoas que reagem ao novo rejeitando o antigo, ou que querem segurar o antigo reagindo ao novo.  Esse é um conflito geracional que precisa ser vencido e que somente se pode vencer quando descemos à essência do conceito da missão, que cada um de nós temos, enquanto cristãos e enquanto igreja.

O Odre velho é a mente cauterizada e enferma, focada apenas nas formas e nas tradições? Sim. Mas, o Odre não é a tradição em si e sim a mente que transforma essa tradição em essência, quando, na verdade, ela é instrumento e história. A essência da Igreja cristã, seja ela anglicana ou de qualquer outra matiz histórica, nunca poderá ser a sua forma, mas sua missão.

O anglicanismo é versátil e se move em uma velocidade de adaptação incrível, e isso é motivo de alegria para todos nós. Os “sociólogos de plantão” estão tentando transformar o fenômeno da multicultural e intergeracional expressão da igreja em um fenômeno de alienação e superficialidade, alegando que tudo isso faz parte de uma cultura por meio da qual se tenta trazer para a igreja as expressões da sociedade.

Muito bem, isso é mais que verdade. Caso contrário, estaríamos tentando enquadrar uma geração e uma sociedade dentro de um padrão medieval que não vivemos faz tempo. Muitos cristãos, graças a Deus, entenderam que a linguagem e as expressões de cada tempo devem ser igualmente adequadas a seu tempo e esses grupos são os que estão fazendo a diferença na sociedade, levando muita gente a Cristo, vendo vidas transformadas e os bancos das igrejas voltarem a ser ocupados por gente e não por fantasmas.

O Sínodo da Igreja da Inglaterra vem discutindo o uso obrigatório de vestes litúrgicas há alguns anos e, recentemente, no Sínodo Geral de 2016, deu autorização oficial para que os clérigos, se preferirem, deixem de usar estas vestes nas celebrações regulares, restringindo-as às solenidades mais formais da igreja. Isso tem mostrado que como a flexibilização e o abandono do tradicionalismo tem sido benéfico para a igreja, que mantém sua tradição, mas tem seu foco na missão.

Os que fracassam na missão, justificam-se na fidelidade à forma. Isso é lamentável, Jesus nunca nos pediu isso. A sociedade moderna deseja ser desafiada. Steve Jobs, um dos empreendedores que mais contagiou o mundo com suas ideias e inovações, disse certa vez que “ queria produzir algo que as pessoas desejassem ter nas mãos”. Bem, ele conseguiu. Mudou a maneira de abordar, de vender, de fazer propaganda, mudou o estilo de se vestir, e o resultado foi simples: ele alcançou a sua meta.

Um dos maiores teólogos evangélicos vivos, J.A. Packer uma vez falou a respeito da Igreja de Holy Trinity Brompton, em Londres – uma igreja anglicana, evangélica, contemporânea, trabalhando na visão de uma igreja em diferentes lugares. Ele afirmou: “Esse é o tipo de igreja que o anglicanismo precisa”. E  Nick Gamble Reitor de HTB disse que certa vez um pastor disse a ele: “Uma igreja vazia é como um palácio vazio de um rei esquecido”.

Graças a Deus que muitas comunidades anglicanas e não anglicanas estão fazendo a leitura correta da história e do tempo em que vivemos. Menciono aqui alguns links que valem a pena serem observados:

Freshexpressions

https://www.freshexpressions.org.uk/

Redeemer Chicago

http://redeemeranglican.co/about/global-partnership/

Christ church Mayfar London

http://www.christchurchmayfair.org/

Chrit Church New York (CANA)

http://www.christchurchnyc.com/

Holy Trinity Bromnpton

https://www.htb.org/whats-on/locations#accordion-1

St Andrews Mt Leasant

http://www.standrews.church/

http://www.standrews.church/one-church-multiple-locations/

St Andrews city church

http://www.standrews.church/citychurch/

https://web.facebook.com/SACityChurch?_rdc=1&_rdr

Cada cristão deve ter em mente que seu maior objetivo é manter a missão. Recebemos uma missão, e falhar nela é falhar no chamado que temos como igreja.

Sociólogos de plantão que me perdoem, mas vocês estão enganados e perderam o bonde da história.  Eu quero pregar uma mensagem que todos desejem tê-la no coração. Este é o meu empreendimento.

Ainda longe de alcançá-lo, no entanto, sigo na direção que Deus tem me dado e me colocado neste momento da história

Miguel Uchoa

Bispo Anglicano

Reitor da PAES

Recife PE

Leia Mais

ALELUIA ELE RESSUSCITOU!

Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem. 1 Coríntios 15:20

 

resurrection-2-300x182

No alvorecer de um domingo como esse, o mundo presenciou  o fato de maior importância em todo o universo, o planeta terra tornou-se naquele instante o centro de tudo o que foi  criado, pois toda a criação estava sendo redimida ali, naquele exato momento quando ao terceiro dia Jesus o filho de Deus, vencia o maior de todos os inimigos.

A morte não teve poder sobre o filho de Deus, quando tudo parecia perdido, os discípulos desapontados, os inimigos comemorando a vitória, os fariseus satisfeitos porque haviam conseguido sufocar  a “rebelião”, os romanos  porque a “ameaça” a César havia sido anulada, mas como diz o poeta  ‘Um rei não se despede assim e os que creram no seu nome sabiam que não era o fim…”Os céus  e a glória de Deus esperavam para o grande grito da vitória, os anjos estavam prestes a anunciar a derrota final das forças das trevas e a vitória da luz, da verdade sobre as trevas e o engano.

Numa manhã como essa Jesus Cristo foi ressuscitado da morte e vencendo-a nos trouxe também a vitória sobre ela, de repente a pedra foi removida  e num momento de glória Jesus adverte aquela que tinha ido untar o seu corpo, “mulher , a quem procuras? Procuras entre os mortos aquele que esta vivo ?’

Hoje tanto tempo depois numa manhã como aquela, nós estamos reunidos para  exclamar  em alto e bom som, para todas as pessoas, para todo o mundo, para todos os que sofrem, para todos os que vivem sem esperança, para todos os que de alguma forma estão distantes  da vitória… Toda a vitória de Cristo sobre as trevas e sobre a morte deve ser assumida e vivida por nós. Sua vitória é nossa vitória , sua vida é nossa vida,  sua Palavra deve ser sempre a nossa palavra.

Estejamos nos lembrando daquele que  tudo venceu, para que com ele vencêssemos tudo,  Retiremos os olhos das trevas, esqueçamos o túmulo, a luz de Cristo brilha entre nós, o túmulo está vazio, Isso significa  que nós agora temos livre acesso ao Pai e a todas as sua bênçãos reservadas para aqueles que o amam.

Isso é Páscoa, Jesus vivo entre nós…

Feliz Páscoa

+ Miguel Uchôa

 

 

 

 

Leia Mais

ALELUIA ELE RESSUSCITOU!!!

Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem. 1 Co 15:20 

resurrection-2-300x182

No alvorecer de um domingo como esse, o mundo presenciou  o fato de maior importância em todo o universo, o planeta terra tornou-se naquele instante o centro de tudo o que foi  criado, pois toda a criação estava sendo redimida ali, naquele exato momento quando ao terceiro dia Jesus o filho de Deus, vencia o maior de todos os inimigos.

A morte não teve poder sobre o filho de Deus, quando tudo parecia perdido, os discípulos desapontados, os inimigos comemorando a vitória, os fariseus satisfeitos porque haviam conseguido sufocar  a “rebelião”, os romanos  porque a “ameaça” a César havia sido anulada, mas como diz o poeta  ‘Um rei não se despede assim e os que creram no seu nome sabiam que não era o fim…”Os céus  e a glória de Deus esperavam para o grande grito da vitória, os anjos estavam prestes a anunciar a derrota final das forças das trevas e a vitória da luz, da verdade sobre as trevas e o engano.

Numa manhã como essa Jesus Cristo foi ressuscitado da morte e vencendo-a nos trouxe também a vitória sobre ela, de repente a pedra foi removida  e num momento de glória Jesus adverte aquela que tinha ido untar o seu corpo, “mulher , a quem procuras? Procuras entre os mortos aquele que esta vivo ?’

Hoje tanto tempo depois numa manhã como aquela, nós estamos reunidos para  exclamar  em alto e bom som, para todas as pessoas, para todo o mundo, para todos os que sofrem, para todos os que vivem sem esperança, para todos os que de alguma forma estão distantes  da vitória… Toda a vitória de Cristo sobre as trevas e sobre a morte deve ser assumida e vivida por nós. Sua vitória é nossa vitória , sua vida é nossa vida,  sua Palavra deve ser sempre a nossa palavra.

Estejamos nos lembrando daquele que  tudo venceu, para que com ele vencêssemos tudo,  Retiremos os olhos das trevas, esqueçamos o túmulo, a luz de Cristo brilha entre nós, o túmulo está vazio, Isso significa  que nós agora temos livre acesso ao Pai e a todas as sua bênçãos reservadas para aqueles que o amam.

Isso é Páscoa, Jesus vivo entre nós…

Feliz Páscoa

+ Miguel Uchôa

 

 

 

Leia Mais