+55 81 30932991 contato@migueluchoa.com

Uma noite de Oasis em meio a um deserto de ausência

Em meados de Junho deste ano fui diagnósticado com uma enfermidade chamada mieloma multiplo. Um nome estranho para um leigo como eu, mas que diz respeito a um tipo de cancer que ataca na sua maioria homens de idade semelhane a minha. Hospitalizado , eu e minha esposa vimos a cortina escura da morte se aproximar de minha vida.
Após a equipe médica nos tranquilizar quanto as possibilidades de tratamento e de receber o apoio e testemunho de um querido irmão em Cristo, Manoel (Nequinho) que havia passado pelo mesmo problema e já havia encerrado o tratamento, fomos aliviados do pior.
Mas, naturalmente isso não me tirou da crise de profundas dores e do período de um Mês que passamos no hospital em tratamento. Sou grato às centenas e centenas de pessoas que passaram por aquele hospital, deixaram mensagens, mandaram presentes, cartazes… sou grato acima de tudo à minha linda comunidade cristã a PAES, que tem me coberto de carinho,de generosidade, de presença, de serviço, sim muito serviço , temos recebido todo tipo de apoio, pessoas que se revesam em levar refeições à nossa casa, mulheres da igreja que se deslocamde seus serviços para ajudar minha esposa e faxinar a nossa casa, e minha secretária particular waleska que simplesmente se mudou para nossa casa e lá nos ajuda em toda logistica necessária…. e, especialmente de oração, as reuniões de oração se multiplicaram na igreja, vigilias semanais e as orações de cada pessoa que tem se colocado diante de Deus pela minha vida e especialmente pela minha recuperação. Entendam bem…para mim, isso é igreja!!!
Estou em pleno tratamento, me sinto a cada dia melhor, minhas taxas melhoram e meu corpo, responde de maneira positiva. Estou em casa, junto à minha amada família e isso tem feito uma grande diferença em cada dia que se passa, nesse período, que de deserto está se tornando um celeiro de momentos com Deus e uma oportunidade de colocar em prática alguns projetos engavetados.
Mas , minha alegria maior nesse período deu-se na ultima 2ª feira 23 de Agosto. Após cerca de 100 dias sem pisar na minha amada igreja, onde sirvo como pastor, fui liberado pela médica para participar de um culto especial da rede de células em comemoração aos 14 anos de nossa igreja e a inauguração do novo depto infantil.
Quando entrei nas dependëncias do templo e vi aquela comunidade louvando ao Senhor e me rebendo em prantos e louvores, meu coração foi sustento pelas misericórdias de Deus, minha emoção foi incontida e minha alegria saltava dentro de mim como uma criança que recebe aquele presente tão desejado.
Mesmo sendo ainda apenas uma visita, mesmo sabendo que tenho adiante de mim uma jornada a cumprir que levará algum tempo, mesmo sabendo que ainda existe uma luta… meu coração foi confortado e minha alegria renovada. Foi uma noite memorável um oasis em meio a esse “deserto” de ausência.
Leia Mais

É possível termos uma visão mais generosa de Igreja ?

Continunado dentro do tema Igreja, emergente, submergente, tradicional etc. Pense um pouco nestas atitudes abaixo e analise, você discorda de alguma dessas expressões?

Apologética – Viva sua fé, compartilhe sua vida
Comunidade- Peregrinando juntos com um propósito comum
Vida contextual – Simplesmente esteja lá, presente
Conversa – Querendo entender a outra pessoa
Eclesiologia – Desejando desafiar as estruturas tradicionais de igreja
Vida Encarnacional – E a palavra se gente e veio para a vizinhança
Humildade – Confiando em Deus
Liberdade – Vocës irmãos foram chamados para serem livres
Ortodoxia generosa – No essencial unidade, no não essencial, liberdade em tudo amor
Relevância – O que são as boas novas para quem vive à margem
Teologia narrativa – Fazendo parte da maior história de Deus
Tolerância – Graça para aqueles que são diferentes
Transparência – Desejando tirar as máscaras sem se esconder mais
Verdade – Simples e direta, Jesus é a única verdade
Autenticidade – Somos todos ícones quebrados
Consciência Cultural – Amando todos os filhos de Deus
Incomformidade – Indo contra a corrente
Missional – Sendo parte da missão de Deus de reconciliação
Mistério – Da água para o vinho, me explique isso?
Pós moderno – Sem dar enfase as questões ainda não resolvidas
Adoração – liberdade, espontaneidade, profundidade
Essas são, na minha opinião algumas marcas de uma “nova” maneira de ser igreja que está emergindo no mundo hoje. E ela se encontra tanto fora, quanto dentro das igrejas tradicionais. Batistas, presbiterianos, anglicanos, e outros podem da mesma forma emergir nessa “nova” maneira de ser e manter seus vínculos com suas tradições. Uma igreja que se volta para as pessoas, sem mêdo de sair de seus muros, questionar suas “vacas sagradas” e ser simplesmente Igreja.

Leia Mais

emergindo ou submergindo…para onde está indo a igreja?

Recentemente vem se polarizando de maneira totalmente desnecessária a discussão sobre igreja emergente e igreja tradicional. Seria ingenuidade ir fundo nessa discussão como se ela tivesse uma lógica provavel.

Existe sim uma igreja emergente, com conceitos mais leves, focada nos perdidos e procurando usar dos melhores metodos para levar a cultura pós moderna ao conhecimento de Jesus Cristo como Senhor e salvador.
Dizer que isso não é válido seria insanidade.

Da mesma forma existem , erros, delírios etc… que podem não levar isso a acontecer de maneira completa. Mas isso não desqualifica as igrejas que estão emergindo e sendo bem sucedidas. Essas igrejas são de todo tipo , tradicionais, recém plantadas, não denominacionais etc .

Uma coisa ninguém pode deixar de reconhecer, as igrejas ditas emergentes tem buscado falar a linguagem dessa geração sem comprometer a mensagem e a maioria dos extremos tradicionalistas estão tentando falar com essa geração numa linguagem medieval e ultrapassada.
Uma esta emergindo e a outra, me parece estar submergindo na irrelevância

Segundo o portal Igreja Emergente [www.igrejaemergente.com.br], uma igreja emergente é basicamente “um movimento cristão onde as pessoas buscam viver sua fé em um contexto social pós-moderno”. Cunhada no final da década de 90, a terminologia se aplica aquelas comunidades que tem como principal marca a propagação do evangelho dentro das diferentes culturas urbanas.

O movimento já vinha ganhando projeção no Brasil, propagado principalmente através de blogs e sites na internet, mas obteve maior impulso após a publicação do livro “Ortodoxia Generosa”, de autoria de Brian Mclaren.
Sinceros, mas eventualmente equivocados
Os defensores e pregadores da chamada igreja emergente possuem motivações sinceras. Como missionário, reconheço que a igreja em algumas ocasiões hostilizou e violentou culturas ao invés de valorizá-las, e que isto de certo modo tem sido uma barreira para a pregação do evangelho. Para reparar essa situação, a igreja precisa desenvolver uma teologia que faça separação entre evangelho e cultura. Além disso, as mutações que vêm ocorrendo na sociedade pós-moderna demandam dos pastores e líderes uma revisão missiológica, reelaborando estratégias e contextualizando sua mensagem para que esta possa ser plenamente entendida pela geração emergente.

As chamadas igrejas emergentes estão preocupadas com o ouvinte e como ele recebe a mensagem e são taxados de relevarem a mensagem .Em seu desejo de pregar um evangelho que seja “aceitável” ao homem pós-moderno, acabam por negligenciar os pressupostos básicos do cristianismo. Isso pode acontecer, mas pelo lado liberal do movimento.

Relativismo, boas obras e ódio pela igreja

Segundo Kevin Corcoran, outra marca distintiva das comunidades emergentes é “a preferência pela vivência correta ao invés da doutrina correta” [1]. Para alguns, a doutrina realmente não importa, de modo que cosmovisoes excludentes como catolicismo e protestantismo são colocadas por eles no mesmo pacote. Estes simplesmente ignoram que não pode haver justificação onde não existe arrependimento e conversão à Verdade. Ao demonstrarem excessiva preocupação com a práxis em detrimento da doutrina, eles se aproximam mais do catolicismo e do espiritismo do que da tradição evangélica, uma vez que a ênfase recai sobre as obras e não sobre a fé. Naturalmente que isso não é uma regra , igrejas identificadas com o movimento emergente são também ortodoxas doutrinariamente.

Existe ainda uma corrente pós-igreja dentro da igreja emergente, que afirma que a própria igreja é o problema e tentam despir-se dela. “Eles sequer usam a palavra igreja e dizem: Nada do que eles fizeram, nós faremos”, diz Jason Clark , outro líder do movimento. Muitos rejeitam até mesmo o título de cristãos e não consentem, em nenhuma hipótese, que chamem suas comunidades de igrejas.

Nestes casos a enfase está em desconstruir a igreja e construir algo que se assemelhe, mas que necessariamente não precisa ser como a igreja.

Conservadores x Liberais: Duas correntes no movimento

Considerado por muitos como emergente, Mark Driscoll, pastor da Mars Hill Church em Seatle, crê que a igreja emergente tem um lado positivo, que é o de reconhecer a importância da missão dentro da cultura urbana. No entanto, ele mesmo denuncia a ideologia predominante no movimento, que chama de “a ultima versão do liberalismo” . Tendo sido um dos precursores deste modelo de igreja, o pastor diz ter se afastado assim que percebeu que os líderes emergentes estavam entrando por um caminho estranho, e hoje fala abertamente do seu desacordo com Rob Bell e Brian Mclaren, representantes da ala emergente liberal. Mark é talvez o maior divulgador do que poderíamos chamar de lado bom do movimento emergente.

Dan Kimball, autor do livro “A Igreja Emergente”, também reconhece que há vozes dissonantes dentro do movimento, e faz distinção entre igrejas emergentes e igrejas que estão emergindo. Seja como for, sua abordagem corrobora a ideia de que existem pelo menos duas facções dentro do movimento. As igrejas emergentes, neste caso, seriam caracterizadas por uma teologia liberal e liderança descentralizada, enquanto as igrejas que estão emergindo (ou emergentes conservadoras), embora nutridas do mesmo desejo de alcançar a geração pós-moderna, são culturalmente liberais, mas possuem uma doutrina ortodoxa, fazendo clara distinção entre evangelho e cultura.

Revendo conceitos

É verdade que existe certa confusão dentro do movimento emergente, mas não podemos negar que algumas das questões levantadas por seus proponentes são realmente importantes: “Que estratégias devem ser usadas para levar o evangelho à geração pós-moderna? A igreja institucional tem sido boa representante de Cristo? Qual o limite entre a contextualização e o sincretismo religioso? Até que ponto devemos mergulhar nas diferentes culturas urbanas para pregar o evangelho?” Estas são perguntas sinceras que merecem uma resposta franca e honesta.
A igreja emergente nasce da nossa falta de preocupação e reflexão missiológica, e apesar da sua ala liberal dominada pressupostos incompatíveis com o evangelho, o movimento possui pontos positivos e tem muito a ensinar-nos. Contudo, precisamos ter muito cuidado para jamais, em nome da forma, comprometer o conteúdo do evangelho. Não podemos exagerar em nosso desejo de ser relevantes culturalmente, pois o evangelho sempre será loucura e escândalo para os incrédulos e ao tentar torná-lo mais atraente, podemos acabar convertendo-o em algo que ele não é.
Adaptado
Leonardo Gonçalves blog pulpito cristão

Leia Mais