+55 81 30932991 contato@migueluchoa.com

bandeira-dinheirama-brasil-crise1-750x410
Sairei na força do Senhor DEUS, farei menção da tua justiça, e só dela. Sl 71:16

 
 
O Brasil vive nos últimos anos uma rajada de metralhadora da corrupção que temo seja fatal porque está atingindo as suas entranhas, sua mais sólida e maior empresa estatal, seu maior escalão de lideranças partidárias, a maioria da população que sofre com os arrochos pós eleição, uma imensa fatia de trabalhadores que são taxados por um imposto de renda sobre uma renda que não é suficiente nem para seu sustento…
            A Presidente da República precisa de nossas orações, como cristão oro todos os dias pelo meu país, pelos governantes e especialmente por ela Dilma Russef. Oro por discernimento, para que ela encontre-se com a humildade que não teve seu antecessor, que herdando uma curva de crescimento de governos anteriores nem melhores nem piores que os dele declarou aos quatro cantos do mundo que o Brasil foi descoberto em 2004 quando foi eleito salvador da pátria e não presidente da República. Dela eu ainda espero uma frase que assuma que errou, que erraram e nós aguardaremos pela misericórdia de Deus.
            O que vivemos hoje na economia brasileira era tendência de certa forma esperada, mas tardiamente tratada e a conta desse atraso veio para a minguada carteira dos contribuintes, aqueles mesmos que mais sofrem, aqueles mesmos que acreditaram no que se dizia em Outubro “O Brasil vai de vento em popa”, tendência de queda associada com ausência de credibilidade internacional é uma equação que só pode dar em números negativos.
            Historicamente o Brasil é uma nação injusta, tem um regime político injusto que mantem no poder as oligarquias, os grupos poderosos e mesmo a chamada esquerda que hoje podemos chamar de EXquerda, subiu ao poder associada com os grupos poderosos e levou esses grupos a ganharem dinheiro como nunca na história desses pais. Pergunte se existe banqueiro chateado com os últimos governos brasileiros….
            Diante disso está chegando o dia 13 e logo em seguida o dia 15 e aí, quando saio nas ruas? que dia levanto a minha bandeira verde e amarela e me lanço nas avenidas junto com milhares de pessoas que estarão, como estiveram em junho de 2013, com faixas de basta! chega! Por um Brasil decente! ?Cuidado, os dois dias guardam perigos e nas duas datas a manipulação pode ocorrer com muita facilidade.
     No dia 13 você, se sair, vai encontrar o exército de Stédille, assim chamado irresponsavelmente pelo ex-presidente Lula, que levanta as bandeiras vermelhas dos Sem Terra, esses mesmos sem terra que chegarão lá com transporte pago por prefeituras governistas, pelos partidos da base do governo, esse mesmo exército que fez dos acampamentos rurais um meio de vida, estende suas lonas pretas e lá não pisam a não ser no dia de receber a sexta básica que na maioria das vezes é comercializada, esse mesmo exército que é um “braço armado” governista e que junto coma CUT arregaça as mangas para defender seus interesses que se distancia dos interesses dos trabalhadores e da população.
No dia 13, você, se sair, encontrará também pessoas sinceras, que ainda acreditam na lisura dos governantes, dos partidos da base aliada, que veem Lula como um “Semi Deus” e que esperam pela sua 3ª volta, sem saber que em assumindo, ele receberá a tendência de queda e não de ascendência que recebeu e manteve durante um tempo.
No dia 13, você, se sair encontrará muita revolta, muita incitação de classes sociais que se tem feito no Brasil com competência, jogando pobres contra ricos em busca de uma revolta popular que apoie o projeto de poder desses que estão governando o Brasil a 13 anos.
No dia 15, você, se sair, encontrará a maioria das pessoas que você encontrou em Junho de 2013, acrescidas de outras tantas que perceberam que as promessas eram vazias e que pouco ou nada mudou desde então. Na realidade o que mudou foram os índices de inflação em elevação, a impunidade que cresceu, os corruptos recebidos como heróis e o maior escândalo de corrupção da história da República, como nunca antes se viu nesse pais.
No dia 15, você, se sair, encontrará muitos jovens e isso é muito bom, uma nova geração se levanta, mas em junho de 2013 também se levantou e apoiou os mesmos que hoje lavam o nome da nação tão bem lavado que ele está desaparecendo de todas as indicadores internacionais.
No dia 15, você, se sair, cuidado. Lá estarão de maneira semelhante ao dia 13, os aproveitadores, líderes partidários que em sua maioria fizeram e fazem o mesmo que os que estão ai estão fazendo, talvez com menos sede ao pote e mais experiência. Eles estarão pedindo seu apoio, não os apoie, eles não merecem confiança. Guardadas as raras exceções, eles são farinha do mesmo saco, o que muda é quem amarra a boca do saco e a alternância de poder no Brasil tem servido para isso.
No dia 15, você, se sair, cuidado, lá estarão os que defendem a volta dos militares ao poder dizendo que na época deles havia ordem e progresso, havia crescimento econômico e esse último de fato houve, mas o benefício não foi para o povo.
No dia 15, você, se sair, cuidado, eles estarão infiltrados, os agentes de direita, defensores da força. Os mesmos que apoiaram 20 anos de ditadura e que enquanto mantinham um congresso fictício, nos porões arrancavam as unhas de seus opositores, estupravam suas esposas diante de seus filhos, davam choques elétricos e proporcionavam viagens de avião de ida sem volta ao oceano atlântico. Esses estarão lá defendendo e dizendo que essas coisas nunca existiram. Informe-se, leia e entenda que a ditadura que alguns do dia 13defendem e tentam implantar é tão nociva quanto a que os infiltrados do dia 15 vão tentar defender.
Nos meus 58 anos de idade, de leitura, de vivencia e percepção dos fatos, de ter vivido os dias de repressão e os dias de suposta liberdade, de depois de ter descartado a ditadura militar que alguns infiltrados no dia 15 defendem, de ter sonhado com a utópica ética do 13, de ter me decepcionado inúmeras vezes….  Não me deixo manipular e não saio nas ruas no dia 13 nem para comprar água, não sou supersticioso, mas para não ser confundido e observarei com cuidado o dia 15 para ver quem está por detrás de tudo isso.
Se for para as ruas, será no dia 15 porque nesse dia, apesar de manipulações e tendências, o discurso é de insatisfação e no dia 13 é de defesa do indefensável e manutenção do que eu tenho abominado.

 

Se sair, sairei na Justiça do Senhor e só dela ….
+Miguel Uchoa
ABOUT THE AUTHOR
admix